Patrick Watson Saciou Saudades Dos Fãs E Confirmou Porque É Tão Adorado Pelos Portugueses

Reportagem de Inês Vieira (Texto) / Diana Silva (Fotos)

Patrick Watson
Patrick Watson

E é de coração cheio que podemos “esquecer” as saudades que estes 3 anos de ausência, nos deixaram. Patrick Watson relembrou ontem na LX Factory, com uma noite cheia de melodia, de calor humano, sons acústicos e os falsetes típicos da sua melodiosa voz, o porquê de ser tão adorado pelo público português.

A sala estava cheia e assim que termina a primeira música pergunta ao público “como estão? Já há muito tempo …” e não contente com o êxtase que foi bem manifesto ele sorri e insiste, “não vos ouvi”, como se reclamasse (ainda) mais saudades.

Traz-nos “Melody Noir” em ambiente acústico, com toda a banda em volta do microfone, ficando maravilhado quando percebe que o público não desilude, uma vez mais, e conhece a tão recente melodia.

Como convidada especial, trouxe-nos Ana Moura, com quem homenageia a amiga Lhasa de Sela, que faleceu há 8 anos, no tema “El Payande” e volta, no encore, a chamar a fadista para o acompanhar num tema improvisado.

Momentos como os de ontem não se esquecem, se por um lado um problema elétrico permitiu aos fãs embalar o cantor, numa atmosfera de carinho, iluminando com os telemóveis o palco, de seguida vemos Patrick a saltar para a plateia, de megafone em riste, encantando com a Adventures.

Foram duas horas de música, entre peripécias elétricas, ternos abraços à nossa Ana Moura, afinações de som no meio da atuação, muitas gargalhadas, melodias antigas e novos temas, que nos fizeram esquecer que era noite de domingo e que já tinham passado 3 anos.

Que seja um reencontro breve, pois precisamos de mais noites destas, para nos aquecer a alma.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.