Parabéns Na Terceira Edição In The Night By Rádio Comercial

comercial_04A equipa das manhãs da Rádio Comercial voltou a encher o MEO Arena com coros e muitos braços no ar numa terceira edição In the Night, no passado dia 2 de abril.

Desta vez não foram celebrações de Natal (Xmas In The Night) mas o 37º aniversário da Rádio Comercial – Parabéns In the Night – com duas importantes notas prévias: A primeira é que não se trata de um espetáculo a sério, daqueles em que há um momento em que se pede que se desligue o telemóvel, e portanto, os telemóveis podem gravar e publicar tudo; a segunda é um pedido para que as pessoas sentadas entre os lugares 18 e 42 da fila P, se desloquem um lugar para a esquerda e assim um par de namorados pode ficar junto. Nada que não aconteça em todos os concertos a sério.

“Boa noite MEO Arena. Podem levantar-se, começar a cantar e vai ser assim toda a noite!” prometia a equipa das manhãs, com Vanda Miranda de encarnado e os três rapazes – Vasco Palmeirim, Nuno Markl e Pedro Ribeiro – de gravatinha a condizer. “Cantem, levantem-se, façam o que quiserem, divirtam-se. Estão com a Rádio Comercial”.

“Não Me Apetece Fazer Nada” foi o primeiro tema e os D.A.M.A foram os primeiros convidados para uma versão do “Às Vezes” que traz os erros de português tão recorrentes como o “há sem h”, ou “quaisqueres” e outros pontapés na gramática.

Por ser uma rádio que defende o amor, criou-se um ambiente Kiss Cam ao som de “Take My Breath Away” (tema imortal dos Berlin): os casais que apareciam no ecrã tinham que se beijar, gerando uma avalanche de beijos seguida e aplaudida por todos, e à qual o par de namorados da fila P naturalmente não escapou.

parabens_in_night_20

 

“A Mais Bela de Todó Mundo” com Palmeirim feat. Markl (qual Dengaz feat. Zambujo) antecedeu a entrada do “enorme” Ricardo Araújo Pereira (porque se sentiu que faltava um cantor) para as duas canções seguintes. Ei-lo chegado para o agrupamento “D-Feito – Tou Doido Com a Tua Mãe” e uma perninha/vozinha no “Vais Ver Que Gostas”.

Transformou-se uma arena dançante cheia de braços no ar numa arena pejada de luzes em “I Didn’t Mean It” com Áurea no pequeno palco ao centro, substituindo os quatro cantantes do “1234567 – Quero Uma Mulher Depressa” do palco principal.

César Mourão junta-se à equipa no palco principal para o genérico da rúbrica Rebenta a Bolha. Segue-se um medley de César Mourão, hilariante nas vozes e nos traços principais dos imitados, desde Joe Cocker  (“Unchained My Heart”) até José Cid (“Múuusica, eu Nasci Para Música”) passando por Paulo Gonzo, Olavo Bilac e Nuno Guerreiro, em “Dei-te Quase Tudo”, “Fala-me de Amor” e “Loucos de Lisboa”, respetivamente.

No palco ao centro, Vasco, Pedro, Vanda e Nuno preparam o mote à formação de lindas faluas para três músicas seguidas: o  clássico “Sai o Paulo, entra o Paulo”, o mais recente “Costa do Pisca-Pisca” e o ritmado “O Nome da Criança”. Um momento de esperado reboliço, com várias composições de comboínhos saltitantes em direções variadas por toda a arena.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

O pedido de retorno aos respetivos lugares desfez as faluas com a ordem possível, porque os convidados que se seguem são apenas dois músicos portugueses que quebraram todos os recordes e deram dezassete concertos nos coliseus…. (e, por acaso, até vão voltar aos Coliseus em setembro). “Rancho Fundo” e o “Pica do Sete” revelam as estrelas de Miguel Araújo e António Zambujo, antes do galardoado com outras duas estrelas mas Michelin, José Avillez, cantar com a equipa quem é afinal o chefe.

Ninguém acredita que o espetáculo ao vivo e a cores das canções da equipa das manhãs termina com “Ronaldo”, “Fernando”, “Carbonera” e “Santiago, o quarto rei mago”- a mais recente música de Natal da Comercial. A equipa regressa para a “Canção do Metro”, o hino da Comercial “Somos Nós” e, claro, os “Parabéns”.  E nem chegam a descer a escada para “ISpantosa” e “Jessica Beatriz”.

“Incriííível” – referiu Pedro Ribeiro, acrescentando: “Obrigado ao milhão e meio de pessoas que escolhe todos os dias a rádio comercial”, e despede-se dizendo: “Segunda às sete. Bom fim de semana”!

Reportagem de Ana Filipa Correia e Joice Fernandes (fotografias) e Madalena Travisco (texto)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.