Palácio Nacional Da Pena Reabre Salas Do Torreão

OPalácio Nacional da Pena reabre as Salas do Torreão para celebrar o aniversário do nascimento de D. Manuel II, e ainda a sala dos “tesouros artísticos” de D. Fernando II e espaço dedicado aos últimos reis que viveram no Palácio de Sintra.

O Palácio Nacional da Pena, em Sintra, assinalou esta semana os 131 anos do nascimento de D. Manuel II, o último rei de Portugal, entre 1908 e 1910. Aproveitando a data, o palácio reabriu as salas do torreão, apresentando um novo projeto expositivo e museológico às visitas. São quatro salas do piso nobre do torreão, alvo de uma renovação que “visa recuperar a memória histórica daqueles espaços”, refere a Parques de Sintra, gestora de monumentos no concelho.

Os visitantes poderão agora encontrar os aposentos reconstituídos de D. Manuel II, com escritório e quarto de dormir, a “partir de inventários e de fotografias da época”. Foram “reintegrados vários objetos pertencentes às antigas coleções reais” e peças de mobiliário originais – incluindo a secretária do rei e o seu leito em pau-santo e pau-rosa.
Existe também uma sala dedicada a D. Fernando II, o rei a que se deve a construção do monumento, onde se “expõe uma seleção de peças ilustrativas dos seus interesses enquanto colecionador e artista amador”. Há peças de ourivesaria, cerâmica, esculturas em marfim ou esmaltes de Limoges.


Há ainda um espaço consagrado “aos últimos monarcas que habitaram o palácio: D. Carlos, D. Amélia e D. Manuel II”. Aqui o destaque é “o imponente centro de mesa em prata oferecido por um grupo de senhoras parisienses à então princesa D. Amélia por ocasião do seu casamento com D. Carlos, em 1886”.

Trata-se de um património vivo, onde a investigação constante conduz a novas descobertas, que levam à atualização dos conteúdos e dos percursos de visita, tal como exemplifica este projeto.

Os trabalhos no Palácio da Pena, que “incluíram profundas obras de conservação e restauro tanto do património móvel, como do património imóvel”, contando-se “intervenções nos pavimentos, paredes e tetos”, iniciaram-se em 2019 e a sua conclusão estava prevista para o início do verão passado. No entanto, devido à pandemia de Covid-19, foram interrompidos e só agora foi possível terminá-los.

Todos os que pretenderem visitar o Palácio Nacional da Pena, devem ter em conta que no próximo fim-de-semana, dias 21 e 22 de novembro, na sequência das medidas extraordinárias decretadas pelo Governo no âmbito do atual estado de emergência, a hora de funcionamento é das 9h00 às 13h00, sendo a última entrada às 12h00.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.