Palácio Nacional Da Pena Apresenta Reconstituição Inédita Da Árvore De Natal De D. Fernando II

O monarca de origem germânica (nascicdo em Viena) D. Fernando II, marido da rainha D. Maria II, introduziu na corte portuguesa a tradição da Árvore de Natal e concebeu o primeiro cartão de Boas Festas, para assinalar este feito, o Palácio Nacional da Pena, sua antiga residência, apresenta uma reconstituição histórica inédita da Árvore de Natal de D. Fernando II – o “Pinheiro da Pena” ? que estará em exposição no Salão Nobre deste monumento até ao próximo Dia dos Reis, 6 de janeiro 2020, uma iniciativa inédita que inclui reproduções à escala da decoração e dos brinquedos da altura, feitas com materiais idênticos e seguindo técnicas de execução tradicionais.

Foi D. Fernando II o monarca responsável pela construção do Palácio Nacional da Pena, uma obra de arquitetura notável com influências da sua terra natal, Áustria. E foi também ele o responsável pela introdução da tradição do pinheiro decorado. Na época em que reinou com D. Maria II, o Natal no Palácio das Necessidades (em Lisboa) era celebrado em torno de um pinheiro trazido propositadamente do Parque da Pena, em Sintra. A memória dessas noites foi-nos deixada pelo Rei-Artista, através de duas gravuras de sua autoria e foram estes testemunhos visuais, acompanhados de uma ampla investigação histórica, que permitiram concretizar com rigor esta reconstituição.

Essas gravuras evidenciam o pinheiro, que era o centro da festa, decorado com velas e frutos, acompanhado de algumas figuras e brinquedos para os então sete pequenos príncipes e princesas também representados nas gravuras a admirar uma figura muito parecida a São Nicolau: D. Fernando disfarçado.

A instalação que agora se expõe no Palácio Nacional da Pena, e que a partir deste ano poderá ser observada por todos os visitantes que passem por este monumento durante a quadra natalícia, é composta por reproduções exatas e à escala do que seria esta decoração natalícia e os brinquedos que D. Fernando II representou. Estas são o resultado de um trabalho de manufatura especializada, que, com base nos conhecimentos históricos e técnicos reunidos pela equipa do Palácio, recorreu à utilização de materiais idênticos aos originais e a técnicas de execução tradicionais.

Mas Árvore de Natal não é a única tradição natalícia que D. Fernando II terá iniciado na Família Real portuguesa. O monarca foi também o autor do primeiro cartão de Boas Festas de que há registo em Portugal. Datado de 1839, tinha como destinatários os seus familiares, como a Rainha Vitória, sua prima. As coleções reais britânicas contêm, pelo menos, duas provas deste cartão e no Palácio Nacional da Pena encontra um álbum de gravuras que conserva um exemplar.

A instalação resulta de uma investigação histórica e iconográfica e representou um investimento de cerca de 20 mil euros, estando integrada no trabalho que tem vindo a ser desenvolvido nos interiores do Palácio Nacional da Pena: a reconstituição histórica dos ambientes domésticos que marcaram a vivência da Família Real.

A exposição pode ser vista todos os dias, entre as 10h00 e as 18h00. E o bilhete para o Palácio e Parque custa 14 euros para adultos, e 6,50 euros para crianças dos 6 aos 17 anos, e pode ser adquirido na bilheteira do Palácio e nos postos de turismo da Vila de Sintra.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.