Padrão dos Descobrimentos Apresenta Exposição Dedicada à Medicina e Às Plantas na Época do Renascimentos  

Reportagem de Elsa Furtado (Texto e Fotos)

expo_mezinhas-004Alguma Mezinha Lá Dessa Terra Do Cabo Do Mundo é o nome da nova exposição do Padrão dos Descobrimentos, que vai estar patente ao público até dia 31 de outubro de 2015.

A mostra está organizada em três núcleos principais: Plantas, Doenças e Hospitais, e foca-se essencialmente na época dos Descobrimentos.

Através de peças de época, como potes para unguentos e para guardar plantas, e alguns painéis é dado a conhecer um pouco da Medicina e das doenças do séc. XVI, na Europa e Portugal, mas também dos países do novo mundo, e a influência do velho continente na saúde dos povos dos países onde os descobridores chegaram e vice-versa.

Os tratamentos usados nos diversos continentes para as mesmas doenças e o recurso às ervas por estes e sua consequente influência na medicina europeia são alguns dos pontos em destaque nesta mostra.

Na secção dedicada às plantas a mostra fala sobre a Partilha de experiências e saberes; O mundo das plantas: valor terapêutico e circulação; as plantas comuns a várias partes do mundo como o Aloés, amaranto, angélica, artemísia, cardíaca, menta e Quercus; as plantas orientais, nomeadamente a chicória, cardamomo, gengibre, cravo, noz de moscada e benjoim; as plantas africanas, tais como o cafeeiro, tamarindo e dragoeiro; e as plantas americanas (da América do Sul e Central), como o ananaseiro, cacaueiro, cânhamo, erva-santa, e quineira.

Entre as doenças aqui referidas, destaque para p escorbuto, sífilis, malária, tungíase, cólera e varíola.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

Também em destaque está o Real Hospital de Todos os Santos, fundado em 1501, aqui relembrado numa maquete e em gravuras da época, o seu papel na Medicina da época e na influência na construção de Centros Hospitalares noutras cidades e noutros países por onde os portugueses passaram, como Cochim (1506) e Cananor (1507) na Índia; Ilha de Moçambique (1507) na África Oriental; S. Paulo (1543) e Salvador (1549) no Brasil. Um hospital que ainda hoje influencia a forma de pensar e estruturar os hospitais e que entre outros promenores se destacava por ter uma horta própria para o cultivo de ervas para serem utilizadas na preparação dos remedies a utilizar nos tratamentos e um boticário responsável.

Uma mostra com um cariz muito atual, atendendo ao revivalismo e aumento de recurso às plantas medicinais e medicina natural dos dias de hoje.

A exposição Alguma Mezinha Lá Dessa Terra Do Cabo Do Mundo – Laboratório de curas medicinais à escala mundial vai estar patente ao público no Padrão dos Descobrimentos até dia 31 de outubro, e pode ser vista diariamente das 10h00 às 19h00. Os bilhetes podem ser adquiridos localmente e custam 4 euros o bilhete normal e 2 euros para jovens e séniores e é o bilhete normal de acesso ao Padrão.

 

 

 

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.