Omara Portuondo – La Reina De La Música Cubana Homenageada Em Sines

Reportagem de Elsa Furtado (Texto) e Francisco Mota (Fotos)

Chamam-na de “La Reina de la musica cubana”, de “La Más Hermosa, la más guapa”, mas na verdade ela é tudo isto e muito mais, ela é uma das maiores estrelas da música mundial, um ícone mundial, falamos de Omara Portuondo.

A diva da música cubana, com os seus 91 anos, voltou a mostrar porque é uma das artistas mais acarinhadas do público, não só cubano, mas também português e de outras nacionalidades, na noite de sábado dia 30 de julho, por ocasião de mais uma edição do Festival de Músicas do Mundo, o Castelo de Sines encheu-se para a ouvir cantar.

E foi um recinto lotado, que recebeu com muito calor humano e emotividade a cantora cubana, pouco depois das 22h00, no sábado passado para o concerto da tour de despedida Vida World Tour 2022.

Já com dificuldade a movimentar-se, mas ainda dona de um charme inconfundível, que sempre a caracterizou, e com o timbre que tão bem lhe conhecemos, Omara cantou durante cerca de uma hora (sentada num cadeirão tal verdadeira “reina”) alguns dos seus temas mais emblemáticos como: “Tabú”, “Quizás, Quizás, Quizás”, “Solamente Una Vez”, “Con Dos Que Se Quieran”, “20 Anõs”, “Me Toca”, “Talvez”, “Mi Mejor Canción/ Palabras” e “Decídete”. Todas elas sempre recebidas com muita alegria e aplausos pelo público, que acompanhou a cantora em quase todas as canções.

Músicas eternas que fazem parte das suas vidas e das suas histórias, especialmente dos cubanos presentes, que era como se “viajassem” até à sua pátria através da música, ou se Omara trouxesse um pouco da pátria até eles.

A seu lado, a sua banda, os seus músicos: Martín Alejandro Chávez na bateria, José Raúl Machado no baixo, Andrés Coayo na percussão e claro, o imprescindível Yadasny José Porrtillo no piano, que é também o diretor musical do espetáculo e o seu guia, não deixaram créditos por mãos alheias.

O nome “Omara”, “Omara”, “Omara” ouviu-se entoar por todo o recinto, entre aplausos e os ritmos alegres da música cubana, na última noite do festival alentejano.

Para o encore ficou guardado o intemporal “Dos Gardenias” e o icónico “Bésame Mucho”:

Bésame, bésame mucho
Como sí fuera esta noche la última vez
Bésame, bésame mucho
Que tengo miedo a tenerte y perderte después
………..

E foi uma Omara Portuondo emocionada com o carinho demonstrado que terminou o concerto, e que teve como remate final uma homenagem surpresa à artista pela mão da Embaixadora de Cuba em Portugal – Yusmari Díaz Pérez e pelo Presidente da Câmara de Sines Nuno Mascarenhas. Uma homenagem muito merecida e inesperada para a cantora, nascida em Havana, e que cresceu na Música.

Hoje ela é um ícone, e um ícone não tem idade, nem tempo, nem terra, é imortal e do mundo, e foi isso que Omara Portuondo mais uma vez mostrou ser: “La más bonita, lá más hermosa, la Diva … Omara Portuondo.

Te Queremos muchíssimo Omara!!!!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.