Oceanário De Lisboa – Uma Viagem Ao Mundo Dos Oceanos

20 anos se passaram desde que a zona Oriental de Lisboa mudou e recebeu um dos maiores eventos que o nosso país já acolheu – a EXPO 98, entre os vários pavilhões estela e que permaneceram depois do evento destacou-se o Oceanário de Lisboa, atualmente, duas décadas volvidas, o equipamento é uma das principais atracções da Capital e foi eleito pela terceira vez o “Melhor Aquário do Mundo”, pelo ‘Travelers’ Choice 2018’ do TripAdvisor, considerado o maior site de viagens do mundo.

O Oceanário de Lisboa tem uma avaliação global de 4,5 em 5, e conta com 33.854 reviews, e repete assim o feito alcançado em 2015 e em 2017. Em 2017 passaram por aqui cerca de 1,3 milhões de visitantes, o maior número de sempre.

Mas o que podemos ver numa visita ao Oceanário de Lisboa?

Começamos a nossa visita pelo Ártico, aqui podemos observar os seus curiosos habitantes, os pinguins, o Papagaio-do-Mar, a Torda-Mergulheira, entre outros. O frio que se faz sentir é real e faz-nos avançar rapidamente para outro hemisfério. Próximo encontramos o Oceano Atlântico, que abrange a Europa, uma parte de África e da América, e de onde provêem a maior parte das espécies que “comemos”.

Avançamos depois para climas mais quentes, e encontramos o Oceano Pacífico e o Oceano Índico, aqui podemos observar todo o tipo de espécies, como o Polvo Gigante, as Lontras Marinhas, o Caranguejo Aranha Gigante, o Peixe Unicórnio, o Peixe Palhaço, o Puffer das Pintas Pretas, entre muitos outros, para além dos coloridos corais.

Entre os vários habitantes do Oceanário destaque para as Anémonas, o Alcarraz, Bacalhau, Barracuda-Gigante, Bodiões, Raias, Lontras-Marinhas, Tubarão Branco, Peixe Palhaço, entre tantos outros.

A principal atracção do Oceanário, e que lhe dá tantos prémios é o grande Aquário Central, com 5 milhões de litros de água salgada, com quatro habitats marinhos, que criam a ilusão que estamos perante um só aquário e um só oceano. A visita desenrola-se em dois níveis, superfície e o subaquático, atravessando as águas temperadas, tropicais e frias dos diferentes oceanos do planeta. A rodeá-lo estão vários aquários mais pequenos, que recriam outros habitats e onde se podem observar peixes mais pequenos.

De destacar ainda a Casa do Vasco, onde os mais pequenos podem aprender um pouco sobre os Oceanos e os cuidados a ter, como não deitar lixo para o mar.

Entre fotografias, exclamações de surpresa e aprendizagem, depressa passa o tempo.

Para além da visita ao Oceanário é ainda possível visitar a exposição temporária. Atualmente o Oceanário apresenta no hall a mostra Sharks do fotógrafo Brian Skerry, que alerta para o perigo de extinção dos tubarões e que resulta de uma parceria com a National Geographic.

A exposição conta com 50 fotografias da autoria de Brian Skerry, fotógrafo e fotojornalista especializado em vida marinha e ambientes subaquáticos, que promete mostrar uma nova perspetiva sobre estes predadores do oceano, para que os visitantes percebam a importância da sua proteção. Entre os vários tubarões existentes podemos ver fotos do tubarão-tigre, do tubarão-branco e do tubarão-azul. E pode ser vista até dia 6 de janeiro.

A visita pode durar entre duas a três horas, e pode ser realizada entre as 10h00 e as 20h00 (sendo a última entrada às 19h00). Os bilhetes podem ser adquiridos no local e online e custam para a exposição permanente 10 euros para crianças entre os 4 e os 12 anos e maiores de 65 anos, 15 euros para visitantes entre os 13 e os 64 anos e 39 euros para famílias (2 adultos e 2 crianças).

E para a exposição permanente e temporária 12 euros para crianças entre os 4 e os 12 anos e maiores de 65 anos, 18 euros para visitantes entre os 13 e os 64 euros e 47 euros para famílias (2 adultos e 2 crianças).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.