O Traço e a Cor – desenhos e aguarelas da coleção Gulbenkian

O

Reportagem de Susana Gonçalves e Tânia Fernandes
 

Inaugurou, no final da semana passada, no Museu Gulbenkian, em Lisboa, uma exposição que apresenta cerca de quarenta desenhos e duas dezenas de aguarelas  provenientes da coleção de Calouste Gulbenkian.   O Traço e a Cor reúne um conjunto de obras (realizadas entre o século XVI e o início do século XX) que, por motivos de conservação, raramente são apresentadas ao público.

Estando o percurso expositivo organizado cronologicamente, poderá o visitante apreciar, num primeiro momento, desenhos de Du?rer e Holbein, o Velho. O século XVIII está amplamente representado com obras de Watteau, Boucher e Fragonard.  A mestria do pintor inglês William Turner pode ser observada em duas aguarelas, uma delas pertencendo à sua produção de juventude. Ainda do século XIX é apresentado um conjunto de aguarelas ilustrativas das Fábulas de La Fontaine. A exposição inclui, também, uma seleção de livros adquiridos por Calouste Gulbenkian, ilustrados por artistas como Renoir ou Gustave Moreau. Mais recentes são os desenhos de Paul Jouve e do artista japonês Foujita, que encerram o percurso.

 

A exposição está patente na sala de exposições temporárias do Museu Gulbenkian e pode ser vista até ao dia 21 de setembro, de terça a domingo, entre as 10h00 e as 18h00. A entrada custa 3 euros.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.