O Rock Intemporal Dos Scorpions Numa Altice Arena Esgotada

Reportagem de Elsa Furtado e Vânia Marecos (Fotos)

scorpions

Rara é a digressão dos Scorpions que não tenha uma passagem por Portugal, e esta não foi excepção, e mais uma vez, o quinteto alemão lotou a Altice Arena.

Com 57 anos de carreira, a banda de Klaus Meine, Rudolf Schenker, Matthias Jabs, Pawel Maciwoda e Mikkey Dee, voltou a dar provas do seu valor e a mostrar porque é uma das bandas preferidas de todas as gerações, dos avós aos netos, num concerto marcado por muitos jovens, duplas de pais e filhos (ou mães e filhas) e inclusive várias crianças, muitos estrangeiros, e os fãs trajados a rigor com tshirts a dizer Scorpions (e até algumas dos Xutos & Pontapés).

Foram quase duas horas de música non stop, com um alinhamento que incluiu desde os grandes sucessos aos temas do novo álbum Rock Believer, que dá nome à tour 2022, mas com uma estrutura muito semelhante aos outros que já vimos, mas mesmo assim, um concerto dos Scorpions nunca desilude.

A noite começou com o novo “Gas in the Tank”, seguido de “Make It Real”, como já é habitual, nesta altura Klaus Meine dirige-se ao público em português e diz  “Boa Noite Lisboa! Como estão?”. Depois, já em inglês, o músico diz “Desculpem não termos vindo em maio”. E a música segue com “The Zoo”, “Coast to Coast”, “Seventh Sun” e “Peacemaker” do novo álbum.

Altura para o clássico “Bad Boys Running Wild”, “Send Me an Angel”, seguido de mais uma interacção com o público.

É chegado o momento de “Winds of Change”, dedicado ao povo da Ucrânia, já na nova versão alterada este ano:

Now listen to my heart
It says Ukrain now,
waiting for the wind
to change

Um dos pontos altos da noite.

Passou mais de uma hora de concerto, e o público, sempre muito animado, recebeu animadamente “Rock Believer”, tema do novo álbum e que dá nome à digressão. Um frenético momento instrumental em que a bateria e o baixo brilharam em toda a sua força, levam os fãs ao rubro, antecedendo um envolvente “Big City Nights”, que marca o final do concerto.

Mas claro que o público não deixou a banda ir embora e no encore ouviram-se, como habitualmente, as intemporais  “Still Loving You … Lisboa” e “Rock You Like a Hurricane” de 1994, que fecharam em apoteose a noite e mais uma digressão europeia dos escorpiões alemães, com o público a dançar e a cantar em força.

“Thank you Lisboa, Good Night”, despediu-se o quinteto de Hannover, no meio da já habitual chuva de palhetas para o público. E agora seguem para a América.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.