O Quotidiano dos Caminhos de Ferro Portugueses em exposição no Museu Berardo

carla_filipe10Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Da cauda à cabeça é o nome da exposição que inaugurou, esta semana, no Museu Coleção Berardo, da artista Carla Filipe. Os caminhos de ferro portugueses são o tema desta mostra que evoca as marcas de uma vida vivida à beira dos carris. Nascida no Entroncamento e criada numa família cujo sustento vinha do trabalho na CP, Carla Filipe trabalhou um assunto que marcou a sua vivência.

Não há comboios nesta exposição, ou qualquer componente mais técnica deste meio de transporte. A artista reuniu antes um conjunto alargado de objetos que permitem falar do tema, sem ser preciso entrar na carruagem. Fardas, boinas, livros, móveis, prateleiras de cozinha, portas, janelas, vedações, vasos, bancos e tudo aquilo que entra no quotidiano de quem faz da sua profissão uma viagem constante.
De objeto em objeto, revelam-se os costumes da época: “No século XX, sobretudo na primeira metade, os ferroviários tinham um estatuto na sociedade. Muitas vezes iam de farda aos bailaricos e as mulheres viam-nos como um bom partido para o casamento porque tinham facilidade em progredir na carreira e em receber casa da companhia. Casar com um ferroviário significava ter moradia própria e por isso ganhar a independência dos pais” refere o programa da exposição.
Fotografias e projeções de documentários em vídeo ajudam a criar o cenário mental.

Carla Filipe, que foi convidada pelo Museu Coleção Berardo para fazer este trabalho, já participou em exposições internacionais, como a Manifesta 8 ou a 13.ª Bienal de Istambul.

Da cauda à cabeça pode ser visto no Museu Coleção Berardo até ao dia 4 de maio, de terça-feira a domingo, das 10h00 às 19h00. A entrada é gratuita.
Dia 26 de março o Museu Coleção Berardo publica um livro sobre a obra de Carla Filipe. Esta monografia reúne uma seleção de trabalhos relacionados com o projeto que a artista realizou para o museu, a par de um conjunto de fotografias que registam a própria exposição.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.