O (En)Canto de Carminho no Campo Pequeno  

carminho2015[dropcap]A[/dropcap]s respirações ficaram suspensas a escutar Carminho, sem amplificação, na repleta sala do Campo Pequeno ontem à noite – 27 de novembro.

“Como diferem das minhas/ as penas das avezinhas/que de leves, leva o ar/ Só as minhas pesam tanto/ que às vezes já nem o pranto/lhes alivia o pesar…”

Estava-se no segundo tema do encore, depois de um concerto que não se esgotou na apresentação do trabalho mais recente de Carminho – Canto ( já galardão de platina). De visual renovado, Carminho mostrou o lado maduro de uma fadista que reconhece e agradece as referências.

“Este concerto é para Beatriz da Conceição. Grande Beatriz, sempre viva!” – foram as primeiras palavras.

Em pleno coração de Lisboa, celebrou-se a vida e o Fado, com um alinhamento diverso que incluiu temas como “Meu Corpo”, “Pedras da Minha Rua”,”Saia Rodada”, “Ventura”, “Andorinha”, “A Bia da Mouraria”, “História Linda”, “Bom dia Amor”, “Disse-te adeus”, “Saudades do Brasil em Portugal”, “Marcha de Alfama”, “Meu Amor Marinheiro” ou “Escrevi teu nome no vento”. Nas palavras de Carminho, é muito difícil escolher o repertório quando se quer cantar todas.

“O que nós mais gostamos de fazer no mundo, é isto (…)”

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

Reportagem de Madalena Travisco (Texto) e Ana Filipa Correia (Fotos)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.