Novas Conformações No MIL – Lisbon International Music Network

Os portugueses Catarina Munhá, Luís Severo, Sunflowers, a brasileira MC Tha, os moçambicanos Gato Preto, os talentos emergentes na cena de música urbana espanhola La Tiguerita, Kenya Racaile e Rakky Ripper, Pinpilinpussies, o holandês Karel e o duo dinamarquês de spa pop GENTS são as novas confirmações do MIL – Lisbon International Music Network.

A quarta edição do festival decorre de 25 a 27 de março, em oito salas de espetáculo e clubes noturnos do Cais do Sodré. Esta é uma iniciativa que dedicada à internacionalização, promoção e valorização da música popular contemporânea. Irá receber, nesta edição, mais de 70 artistas vindos dos países de língua portuguesa e do resto do mundo.

Juntam-se ainda ao alinhamento a britânica BABii, o quinteto feminino da Londres underground Los Bitchos, os noruegueses Deathcrush e Oilskin, os belgas Saudade e Glauque e os franceses Psychotic Monks, ascendant vierge e Johan Papaconstantino.

Em paralelo, terá lugar a convenção, cujo programa será revelado no dia 6 de fevereiro. No entanto, já foram divulgadas as ações do programa integradas na iniciativa Lisboa Capital Verde Europeia 2020.

A problemática das mudanças climáticas e das questões ambientais ocupa, atualmente, um lugar prioritário nos debates a nível internacional no sector da música e da cultura. O MIL acompanha este debate desde a sua primeira edição e, este ano, reforça a sua urgência e importância em quatro momentos diferentes ao longo da sua convenção.

Lucy Latham da Julie’s Bicycle, instituição londrina que incentiva as comunidades criativas a agir sobre as mudanças climáticas, vai realizar uma keynote sobre sustentabilidade no sector das indústrias culturais e criativas e um workshop sobre as práticas que as entidades neste sector devem adoptar neste sentido.

As questões ambientais serão ainda tema de debate em dois painéis. A problemática da pegada ambiental na indústria da música será debatida por Artur Mendes, do festival BOOM, Kyle Devine, musicólogo e autor do livro Decomposed: The Political Ecology of Music, Carolina Ferreira, da European Recycling Platform e Ancienne Belgique, histórica sala de espectáculos belga. Por fim, Lucy Latham da Julie’s Bicycle, Gwendolenn Sharp, autora do The Green Touring Guide, o músico Yann Tambour e Chal Ravens, jornalista e fundadora do projecto Clean Scene, juntam-se num painel focado em tours sustentáveis.

Para além dos momentos de debate e formação, o MIL procurou ainda tomar medidas práticas para agir sobre esta questão de três formas: numa parceria com a Julie’s Bicycle integrada no projeto europeu ROCK, o festival vai trabalhar de forma a reduzir o seu impacto ambiental, avaliar a sua pegada ecológica e desenvolver medidas de compensação da mesma.

Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais. Por 70 euros, é possível adquirir o PRO TICKETS (acesso ao programa PRO, espetáculo de abertura e concertos), por 35 euros o GOLD FESTIVAL TICKETS (acesso ao espectáculo de abertura, concertos e oferta da tote bag do MIL) e por 25 euros o FESTIVAL TICKETS (acesso aos concertos nos dias 26 e 27 de março).

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.