Primavera Sound – Dia 1: A Noite de Caetano

Reportagem de Sandra Mesquita (texto) e Catarina Costa (fotos)

primavera_sound_dia1 05 Jun 2014 22-005

Passavam poucos minutos das 17 horas quando o Parque da Cidade do Porto abriu portas para mais uma edição do Primavera Sound, este ano com um nome diferente mas com o mesmo espírito de sempre. Segundo a organização, 22 mil pessoas estiveram no recinto para ouvir a bossa nova de Caetano Veloso e a estreia do rapper americano Kendrick Lamar em Portugal.

Como tem vindo a ser hábito, o primeiro dia do festival arrancou a meio gás, com apenas dois palcos abertos, permitindo assim assistir a todos os concertos da noite. O cartaz, que este ano surpreendeu pela variedade, atraiu para o festival, conhecido pela sua vertente mais alternativa, um público ligeiramente diferente. Entre os vários estrangeiros, viam-se, este ano, mais portugueses, famílias e alguns adolescentes.

A abertura da primeira noite de concertos coube ao quarteto Os da Cidade, composto por António Zambujo, João Salcedo, Miguel Araújo e Ricardo Cruz, que reuniu uma pequena multidão para uma espécie de cocktail de boas vindas enquanto muitos ainda chegavam ao recinto. Seguiu-se o brasileiro Rodrigo Amarante, antigo membro de Los Hermanos, com a melancolia do seu último disco “Cavalo”. Às 19h45 foi a vez dos norte-americanos Spoon subirem ao palco com temas como “Small Stakes”, “I Turn My Camera On”, e “The Underdog”.

Esperada por uma legião de fãs, a luso-descedente Sky Ferreira entrou em palco pouco depois de roupas e ósculos escuros a combinar com a atitude de menina rebelde que transmite nas suas músicas. Apesar da empatia com o público, os temas quase descartáveis de Sky Ferreira soam melhor na rádio.

Às 21h45 subiu ao palco um dos nomes mais esperados da noite. Caetano Veloso saudou o Porto com um grande “Abraçaço”, o seu último álbum. O veterano da música brasileira, de 71 anos, trouxe também na bagagem alguns dos clássicos das suas quatro décadas de carreira, entre eles “Leãozinho” um dos momentos altos da noite. Foi um concerto marcado pela alegria, ternura e nostalgia, ficando apenas a faltar “Sozinho”, um dos temas mais aguardados pelo público presente.

 

This slideshow requires JavaScript.

Pouco depois, no palco ao lado, as irmãs norte-americanas HAIM, Este, Alana e Danielle, estrearam em Portugal com o tema “Falling”, num concerto marcado pela atitude explosiva e a cumplicidade entre as três, onde não faltaram os solos rock e as fortes batidas do timbalão.

Perto da uma da manhã, a vibe de Kendick Lamar inundou o Parque da Cidade. Foram muitos os que acompanharam, de braços no ar e letras bem decoradas, o hip-hop do jovem rapper de 26 anos.

A noite terminou com a dança psicadélica dos australianos Jagwar Ma.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.