Museu Nacional Grão Vasco Assinala 100 Anos da Sua Fundação

MNGV_001O Museu Nacional Grão Vasco, de Viseu, celebra 100 anos de existência no próximo dia 16 de março, tendo preparado um programa com várias iniciativas alusivas à efeméride, que envolvem toda a cidade sob o mote “A Festa do Museu, a Festa de Viseu”.

No total são cerca de 50 iniciativas museológicas, expositivas, artísticas, educativas e editoriais, que estão em curso desde setembro de 2015 e decorrem até março de 2017, na cidade e em vários pontos do país.

O programa do centenário é de âmbito nacional, e reúne a participação de peritos e convidados portugueses e estrangeiros, inclui acções no próprio museu, bem como noutros espaços de Viseu e do País.

“Celebrar o centenário do MNGV é também uma oportunidade para celebrar o património e a cultura portuguesa, destacando estes recursos como fundamentais à projeção do nosso País no contexto contemporâneo, com reflexos no desenvolvimento regional e impactos alargados a áreas como a educação, turismo e economia”, explica Agostinho Ribeiro, Diretor do MNGV, em comunicado.

O dia 16 de março marca o ponto alto do centenário do museu e sob o mote “A Festa do Museu, a Festa de Viseu”, vão decorrer na cidade várias acções como o lançamento de edições temáticas, celebrações solenes, um concerto do Coro do Teatro Nacional de São Carlos e a inauguração da exposição História do Museu Nacional Grão Vasco, desde os antecedentes da sua fundação à atualidade.

centenario_museuO programa do centenário do MNGV inclui ainda as exposições Diálogos Intemporais, do escultor Rogério Timóteo; uma parceria com a galeria ArtG de Viseu e KORNTAL – Aguarelas, de Júlio Resende, um projeto promovido em parceria com a Ordem dos Advogados – Delegação de Viseu, que podem ser vistas até 26 de junho; e ainda a mostra Janelas Indiscretas, uma intervenção a quatro tempos no pátio interior do museu, com inauguração prevista para breve.

O Museu Grão Vasco foi fundado a 16 de março de 1916, por Francisco Almeida Moreira, com o objetivo de preservar e valorizar o património histórico, artístico e arqueológico da região de Viseu, em especial as pinturas de Vasco Fernandes, está localizado no centro histórico, no Paço dos Três Escalões, um imponente edifício granítico do século XVI e próximo da Sé Catedral.

O seu acervo resulta de aquisições, legados e doações, atualmente reúne obras de arte de diversa tipologia e épocas, incluindo 22 bens classificados como tesouros nacionais.

A coleção principal é constituída por um conjunto de pinturas de retábulo, provenientes da Catedral, de igrejas da região e de depósitos de outros museus, da autoria de Vasco Fernandes (c. 1475-1542), conhecido como o Grão Vasco, e dos seus colaboradores e contemporâneos.

Reúne também objetos e suportes figurativos, originalmente destinados a práticas litúrgicas – pinturas, esculturas, peças de ourivesaria e marfins, do Românico ao Barroco, peças de arqueologia, uma coleção de pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, exemplares de faiança portuguesa, porcelana oriental e mobiliário.

museu_grao_vascoEntre 2001 e 2003, o edifício foi alvo de um projeto de intervenção da autoria do arquiteto Eduardo Souto Moura, que o adaptou às exigências de um novo programa museológico.

Foi classificado museu nacional em maio de 2015, passando a ser o terceiro museu com a designação de nacional localizado fora de Lisboa, além dos museus Soares dos Reis no Porto e Machado de Castro em Coimbra.

O museu está aberto terça-feira das 14h00 às 18h00, e de quarta-feira a domingo das 10h00 às 18h00. Os bilhetes custam …. E podem ser adquiridos no local.

Ao longo de 2016 a cidade de Viseu assinala também os 500 anos da Dedicação da Sé de Viseu, os 500 anos da Fundação da Santa Casa da Misericórdia de Viseu e os 100 anos da edificação dos Paços do Concelho que transformam a cidade no epicentro da celebração da história e cultura portuguesa.

Texto de  Elsa Furtado

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.