Museu Municipal Pedro Nunes Em Alcácer Do Sal Reabriu Ao Público

O Museu Municipal Pedro Nunes, em Alcácer do Sal, no distrito de Setúbal, reabriu as portas ao público no dia 6 de abril de 2019, depois de concluídas as obras de requalificação, num investimento de 1,5 milhões de euros.

O museu, que tem o nome do matemático Pedro Nunes, nascido em 1502, em Alcácer do Sal, está localizado na Praça do Município, junto ao rio Sado, antigo porto estratégico para as trocas comerciais.

Financiadas por fundos da União Europeia, as obras começaram em março de 2017 e obrigaram a um “profundo restauro” do edifício da antiga Igreja do Espírito Santo, onde está instalado o museu. De acordo com o município, o “avançado estado de degradação do edifício”, classificado como Imóvel de Interesse Público, “levou ao seu encerramento em 2007”.

O projeto, que teve início em 2014, ficou finalmente concluído após “um longo processo” para “obter os pareceres favoráveis das várias entidades responsáveis pelas áreas do património e da cultura”, explicou Vítor Proença, presidente da Câmara de Alcácer do Sal em comunicado.

“Foi necessário reabilitar todo o interior da antiga Igreja do Espírito Santo, que estava bastante degradado, e realizar um conjunto de construções novas no interior, assim como o arranjo de paredes do coro-alto, do altar e todo um trabalho de restauro e conservação de várias estruturas”, sublinhou ainda Vítor Proença.

“Do ponto de vista museológico, queremos mostrar todo o espólio que está estudado e que revela a importância comercial desta via fluvial [rio Sado] e de Alcácer do Sal, além de valorizar a importância que o matemático Pedro Nunes, chamado pai da cartografia moderna, teve em todo este desenvolvimento”, acrescentou o autarca.

Durante os trabalhos de requalificação do edifício, segundo o autarca, foram “descobertos esqueletos” e “outras surpresas” resultantes das escavações arqueológicas, que “puseram a nu um conjunto de edificado e de peças, como um ‘dolium romano’, mas também passeios e muros de casas, no interior da igreja, do período árabe”. “Os achados arqueológicos foram enterrados por decisão da Direção-Geral do Património Cultural para acautelar a sua preservação”, salientou. Só o ‘dolium romano’, contentor cerâmico para armazenagem e preparação de alimentos utilizado durante a época romana, ficará exposto no renovado museu “devidamente preservado e acondicionado”, além de “outras peças de grande valor”, contou o autarca.

O Museu Municipal Pedro Nunes pode ser visitado de terça-feira a domingo, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, sendo que, em ambos os períodos, a última entrada ocorre meia hora antes do encerramento do espaço. No primeiro ano de funcionamento as entradas serão gratuitas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.