Museu Da Água Em Coimbra Apresenta Mostra Incolor Com Obras De Artistas Contemporâneos

A exposição coletiva Incolor, de BORDALLO II, Forest Dump e Miguel Januário, aka ±MAISMENOS±, tem inauguração agendada para 22 de março, Dia Mundial da Água, às 17h30, no Museu da Água em Coimbra, e estará patente até ao dia 26 de maio.

Incolor e presente é como a água deve ser: sem contaminação, sem plásticos, sem microplásticos, sem poluição e sem gastos absurdos que a tornem inexistente em vez de transparente.

A mostra contempla formatos variados de peças, como pintura, escultura, instalação e vídeo.

Artur Bordalo ou Bordallo II nasceu em 1987, em Lisboa, e é neto do pintor Real Bordalo. É conhecido internacionalmente e tem esculturas de várias dimensões, “trazendo os animais de volta à vida, usando o que os mata: o plástico”.

Miguel Januário nasceu no Porto em 1981,estudou Design de Comunicação na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, em 1999, e desenvolveu as primeiras intervenções de graffiti no espaço público. Em 2005 no âmbito académico, criou o projecto de intervenção ‘±MAISMENOS±’, produziu diversos trabalhos criativos, tanto em contextos fechados como exteriores, através de instalações, vídeos, pintura e performance, que já percorreu o país inteiro e teve ainda mostras em vários países.

Tomás Carreira João, nascido em 1994, estudou na Escola António Arroio e formou-se em Artes Plásticas na Faculdade de Artes e Design das Caldas da Rainha, após o que deu início à sua prática artística sob o nome de Forest Dump, elaborando trabalhos em campos variados: escultura, instalação, performance, vídeo, fotografia, entre outros.

A mostra tem entrada livre, a exposição poderá ser visitada de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.