Museu Calouste Gulbenkian Apresenta Exposição Dedicada À Idade De Ouro Do Mobiliário Francês

O Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa, apresenta, a partir de 6 de março, uma nova exposição dedicada à Idade de ouro do Mobiliário Francês.

Serão mostradas peças de mobiliário, produzidas em França, no século XVIII, pertencentes à Coleção Gulbenkian e emprestadas por outras instituições, como o Museu Nacional de Arte Antiga ou o Musée des Arts Décoratifs de Paris. Todas as peças expostas constituem “exemplos fascinantes da Idade de Ouro do Mobiliário francês exibindo uma qualidade técnica e artística sem precedentes”, bem visível nas peças folheadas e marchetadas com madeiras exóticas, tais como pau-cetim, ébano e buxo, entre outras; nos bronzes cinzelados e dourados e nos mármores ou nas placas de porcelana de Sèvres.

Produzidas entre o final do reinado de Luís XIV e a Revolução Francesa, as peças destinavam-se a uma elite sofisticada, que procurava o luxo e o conforto aliados à beleza. Neste período, os custos da decoração de uma casa de luxo na cidade chegavam a ser superiores aos da sua construção. A vinda para Paris de ebanistas estrangeiros, com elevados conhecimentos técnicos, e a chegada de novas madeiras, provenientes das viagens marítimas, contribuíram também para um desenvolvimento extraordinário desta arte. As corporações de artesãos tiveram, igualmente, um papel fundamental nesta dinâmica, garantindo a excelência da produção e favorecendo o surgimento de verdadeiras dinastias de mestres marceneiros como os Boulles, os Migeons, os Van Risenburghs ou os Mondons, entre outros.
Grande apreciador destas peças de artes decorativas, Calouste Gulbenkian adquiriu vários exemplos diversificados, produzidos com técnicas distintas, conseguindo um conjunto extraordinariamente representativo do que de melhor se produziu neste período. Entre as obras-primas incluídas na sua coleção destacam-se a secretária de cilindro, de Jean-Henri Riesener, a mesa secretária, de senhora de Martin Carlin, e a cómoda de Charles Cressent.

A exposição A Idade de Ouro do Mobiliário Francês. Da Oficina ao Palácio tem curadoria da conservadora Clara Serra e estará patente na Galeria do Piso inferior – coleção do Fundador, até dia 1 de junho de 2020, podendo ser vista de quarta-feira a segunda-feira, entre as 10h00 e as 18h00. A entrada é livre.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.