Mulheres Espias Em Tempo De Guerra De Ann Kramer

O livro “Mulheres Espias em Tempo de Guerra”, da autora e historiadora britânica Ann Kramer, com selo Edições Vogais, já se encontra disponível nas livrarias nacionais.

Um livro baseado em depoimentos e arquivos pessoais, com a história de mulheres notáveis que aceitaram arriscadas missões.

Como afirma Ann Kramer, na introdução:

Longe de serem ingénuas ou passivas, as mulheres que fui conhecendo no decurso da minha investigação eram perspicazes, determinadas, e tomavam decisões de uma forma proativa, baseadas num ideal ou no patriotismo, ou ambos, e sempre conscientes de que poderiam estar a colocar as suas vidas em perigo. Também levavam a questão do secretismo muito a sério — contrariamente ao que sugere o estereótipo que ilustra as mulheres como dadas a intrigas e boatos, estas mulheres mantinham a boca fechada, independentemente do que lhes pudesse ser feito. O seu trabalho era perigoso, e algumas morreram a fazê-lo. Os seus nomes e feitos merecem um maior reconhecimento do que aquele que lhes foi prestado», sendo o livro, como escrito na capa, “um tributo às mulheres espias que salvaram milhares de vidas”

Espiar em tempo de guerra é arriscado e perigoso

Como Marthe Richer disse sobre as suas atividades de espionagem durante a Primeira Guerra Mundial, «a qualquer momento pode-se ser preso e ir ao encontro da morte». Apesar do perigo, foram muitas as mulheres que trabalharam como espias durante as duas guerras mundiais. Algumas sobreviveram, mas foram mais as que não regressaram a casa.

De Mata Hari a Odette Sansom, raramente as mulheres que se dispuseram a espiar para os seus países receberam o devido reconhecimento. Com frequência banalizadas em livros e filmes, estereotipadas como femmes fatales ou ingénuas, a verdade é bem diferente. Trabalhando sob identidades falsas como correios ou operadoras de rádio, o seu contributo foi inegável. Oriundas de todos os estratos da sociedade, muitas exibiram qualidades inesperadas.

Algumas provaram ser excelentes líderes, como Pearl Witherington, ou possuir tremenda descontração, como Nancy Wake; muitas outras, como Noor Inayat Khan, mostraram uma coragem excecional durante privações terríveis.

O livro, com 264 páginas, está à venda por 17,69 euros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.