MUDE Propõe Descobrir Novo Mundo Em Belém

Por Elsa Furtado (Texto e Fotos)

Novo Mundo: Visões através da Bienal Iberoamericana de Diseño 2008-2016 é o nome da mostra que o MUDE apresenta fora de portas, até dia 2 de julho, no Palácio da Calheta – Jardim Botânico Tropical, em Belém.

A mostra tem curadoria de Bárbara Coutinho, diretora do MUDE e parte das cinco edições da Bienal Iberoamericana de Diseño (BID), realizadas entre 2008 e 2016, “para refletir sobre a real capacidade do design ser um agente transformador da sociedade e do homem”.

Ao longo das várias salas do antigo Museu Agrícola da Ultramar podemos ver, estudar e observar projetos e serviços de quase 115 designers, oriundos de 22 países (desde Portuga, Brasil, México, Venezuela, Argentina, Cuba, Espanha, entre outros), que têm vindo a estimular a real partilha de informação e conhecimento, o intercâmbio intergeracional, a coesão social, a inclusão e o multiculturalismo, contribuindo para o desenvolvimento humano e para a sustentabilidade social, ao mesmo tempo que testemunham a universalidade da linguagem do design. 

A primeira sala é dedicada ao design gráfico e aos cartazes políticos, seguem se depois outras peças, num total de 125, entre cartazes políticos, peças de vestuário, edições, pictogramas, objetos decorativos, mesas, secretárias, cadeiras, e utilitários, joalheria, mobiliário, serviços e filmes que estão em exposição, neste espaço há tanto tempo fechado ao público.

“A exposição torna-se um espaço de reflexão sobre o nosso mundo, o interculturalismo do espaço ibero-americano e o próprio processo curatorial que a construiu, na medida em que este permite debater alguns estereótipos e preconceitos que ainda persistem”, explicou a responsável.

A exposição decorre também no âmbito da Capital ibero-americana de Cultura, é a primeira de três, e em parceria com a Universidade de Lisboa – Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MUHNAC).

A mostra pode ser vista de terça a domingo até dia 2 de julho das 10h00 às 18h00, e tem entrada livre. A entrada faz-se pela Rua General João de Almeida – antigo Museu Agrícola da Ultramar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.