MOTELx regressa em Setembro e traz muitas novidades

Por Mariana Machado

cartaz_motelx2014Setembro vai ser o mês do terror em Lisboa! Na passada terça-feira foi anunciada a tão esperada programação do festival de cinema de terror de Lisboa – MOTELx. E contamos com muitas novidades.

Para além dos novos espaços, Teatro Tivoli BBVA e o Palácio da Foz, que pela primeira vez se juntam ao habitual Cinema São Jorge, vamos ter também uma warm up para preparar os corações mais assustadiços. Estes eventos vão incluir uma noite de poesia tumular no bar POVO, no Cais do Sodré, no dia 1 de Setembro, uma sessão de cinema ao ar livre no largo de São Carlos, dia 6 e ainda uma festa de antecipação no Musicbox com a temática dos zombies, no dia 5 de setembro.

A oitava edição do festival vai decorrer entre 10 e 14 de setembro, com uma vastíssima programação para os amantes do terror e do suspense. A secção principal do festival denominada “Serviço de Quarto” vai apenas incluir filmes de 2014, entre os quais Allelluia de Fabrice du Welz, Open Windows de Nacho Vigalondo, Late Phases de García Bogliano e ainda a dupla Julien Maury/Alexandre Bustillo com «Among the Living», filme que se segue a Inside e a Livide, ambos exibidos no MOTELx em edições passadas.

Destaque também para os filmes de autoria feminina, e que neste caso “apostam no medo puro e duro”: dos EUA chega-nos Honeymoon de Leigh Janiak e da Austrália The Babadook, de Jennifer Kent.

A única secção competitiva do festival, o Prémio MOTELx- Melhor Curta de Terror Portuguesa tem 13 filmes a concurso. O vencedor será escolhido por um júri formado pelo ator Gonçalo Waddington, a jornalista e actual directora artística do Shortcutz Porto, Luísa Sequeira, e o realizador francês Julien Maury, e será anunciado na sessão de encerramento do festival.

Dedicada aos filmes de género português, a secção “Quarto Perdido” debruça-se este ano sob a literatura negra e recupera duas longas metragens dos anos 50: O Cerro dos Enforcados, de Fernando Garcia (adaptação de O Defunto de Eça de Queirós) e Os Canibais, de Manoel de Oliveira, também uma adaptação a partir da obra de Álvaro do Carvalhal.

O festival não deixa de fora os mais novos (e destemidos). A secção “Lobo Mau” vai apresentar três clássicos da Disney envoltos em misticismo: Branca de Neve e os Sete AnõesPinóquio e Fantasia.

Por fim, para os seguidores da série True Blood, vão poder assistir à antestreia do primeiro episódio da sétima temporada.

Também em antestreia foi mostrado durante a apresentação o filme Snowpiercer – Expresso de Amanhã, do realizador sul-coreano Bong Joon-Ho. O filme conta uma estória apocalíptica, que fala da existência humana e a hierarquização da vida em sociedade. A fazer lembrar obras como 1984, de George Orwell ou O Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, este filme fala-nos do controlo dos mais fracos através de sistemas violentos e da revolta contra esses mesmo sistemas.

Snowpiercer é o comboio onde viajam todos os humanos que restaram da catástrofe provocada por uma experiência falhada que congelou a Terra e que lá dentro se categorizam desigualmente, em diferentes carruagens, diferentes condições e diferentes funções. Com um elenco brutal (Chris Evans, Tilda Swinton e John Hurt) a suportar a narrativa, também ela muito bem arquitectada, Snowpiercer foi um óptimo ponto de partida, que nos deixou em pulgas, para os quatro dias mais assustadores do ano.

Por Mariana Machado

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.