Montanha-Russa – A Adolescência No Palco Do TNSJ

O Teatro Nacional São João (TNSJ) acolhe até ao dia 10 de junho, a peça Montanha-Russa, um espetáculo com dramaturgia de Inês Barahona e encenação de Miguel Fragata, apoiados pelo duo dinâmico da banda portuense Clã: Manuela Azevedo e Hélder Gonçalves.

Um trabalho de pesquisa de um ano e meio assenta sobre esta montanha-russa de emoções: diários, letras, canções, fotografias e documentos de adolescentes entre os 13 e os 19 anos. A dramaturga e o encenador reúnem nesta peça, o resultado de toda esta documentação associado a um conjunto de atividades desenvolvidas próximo de quem vive a adolescência.

O resultado – Montanha-Russa, traz-nos as vidas e visões de mundo através da interpretação de “quatro adolescentes”, cada um com a sua própria história, desafiando as convenções do “teatro musical”.

A vida é uma montanha-russa, cheia de subidas e descidas. Mas existe uma fase em que todas estas elevações e quedas se tornam ainda mais vertiginosas, a velocidade atingida ultrapassa qualquer limite e as voltas de 360 graus acontecem mais que uma vez: falamos da adolescência. Montanha-Russa é uma digressão pela descoberta deste período e de todas as questões que lhe estão inevitavelmente associadas, como a procura de um lugar, a busca pela identidade ou a descoberta de si próprio. Montanha-Russa é o retrato de uma geração a querer fazer-se ouvir ao som da música, uma intimidade a gritar “leiam-me!”

O espetáculo é interpretado por Anabela Almeida, Bernardo Lobo Faria, Carla Galvão e Miguel Fragata, numa coprodução Formiga Atómica, Teatro Nacional D.Maria II, Teatro Virgínia e TNSJ.

A peça sobe ao palco à quarta-feira e sábado, às 19h00; à quinta e sexta-feira, às 21h00; e ao domingo, às 16h00. Está classificada para maiores de 12 anos e o preço dos bilhetes varia entre os 7,50 euros e os 16 euros.

De referir que a récita do dia 10 de junho conta com tradução em Língua Gestual Portuguesa e audiodescrição.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.