MNAC Inaugura Exposição Dedicada A Sarah Affonso

O Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, em Lisboa, inaugura no próximo dia 12 de setembro, a exposição Sarah Affonso – Os Dias Das Pequenas Coisas, com curadoria de Maria de Aires Silveira e Emília Ferreira.

A exposição dedicada a Sarah Affonso (1899–1983) é uma de duas que, neste ano em que se celebram os 120 anos do nascimento da artista modernista, recordam a sua vida e obra.

Construídas de modo dialogante, numa parceria entre o Museu Nacional de Arte Contemporânea e a Fundação Calouste Gulbenkian (Sarah Affonso e a Arte Popular do Minho), as duas exposições pretendem criar uma primeira visão abrangente e problematizadora da herança artística de uma autora que, embora reconhecida e inscrita na história da arte nacional, permanece desconhecida do grande público e reduzida à imagem de mulher de Almada Negreiros.

Propondo um percurso biográfico e criativo de Sarah Affonso, ao longo da exposição irá ser abordada a sua formação artística, levando-nos a descobrir uma artista multifacetada, com obra que vai de uma multiplicidade de registos de desenho à pintura, passando pelo bordado e que se manifesta também de modo muito particular na relação com a paisagem, intervindo e criando, paisagística e pragmaticamente, o entorno da casa da família em Bicesse (Cascais).

No Museu Calouste Gulbenkian, a exposição Sarah Affonso e a Arte Popular do Minho, patente na Galeria da Coleção do Fundador, de 4 de julho a 7 de outubro de 2019, com curadoria de Ana Vasconcelos, é dedicada à particular relação da artista com a arte e a cultura popular do Minho, que tão fortemente a marcou desde os anos da sua infância e adolescência passados em Viana do Castelo.

A exposição do MNAC contará com a publicação de um livro, uma coedição MNAC/Tinta da China, que reunirá vários ensaios inéditos sobre a vida e obra de Sarah Affonso, estabelecendo pontes entre as duas exposições, e reproduzindo a totalidade das obras da autora apresentadas nas duas mostras.

Haverá ainda programação de Serviço Educativo específica para ambas as exposições. A 24 de setembro realizar-se-á também um colóquio, cujo programa será divulgado em breve, que enfatizará o diálogo entre os dois projetos expositivos, avançando com novos contributos sobre a vida e obra da artista.

A mesma estará patente ao público até ao dia 22 de março de 2020, e pode ser vista de terça-feira a domingo, entre as 10h00 às 18h00, sendo a última entra às 17h30. Existem dias de entrada gratuita, aos domingos e feriados, até às 14h00, para todos os cidadãos residentes em território nacional. O preço do bilhete tem um valor de 4,50 euros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.