Miguel Araújo Estreou-se No Salão Preto E Prata Do Casino Estoril

Reportagem de Madalena Travisco (Texto) e Joice Fernandes ( Fotos)

Miguel Araújo

Na noite em que fez precisamente um ano que saiu o Giestas, Miguel Araújo estreou-se no Salão Preto e Prata do Casino Estoril. Os temas do último álbum, outros tantos outros sucessos do próprio e um teleponto que facilitava os mais desmemoriados, foram apelo ao cantarolar do público pese embora o conjunto exemplar de músicos em palco também nos fizesse ver e sentir quem faz bem o quê.

“Por mais duro o serviço/ Que a terra peça da gente/Eu não sei por que feitiço/Temos sempre novo alento” cantarolado pelo público, arrancou as primeiras palavras do Miguel Araújo no quarto tema:

“Muito boa noite! Muito obrigado por estarem aqui e por terem cantado. Fico muito feliz por estar aqui, é a minha primeira vez. (…) Os bilhetes não eram muito baratos e por isso, ainda fico mais sensibilizado”.

Giestas – o nome do último álbum de Miguel Araújo, o tal que faz um ano – é também o nome de um local, lá para Águas Santas, Maia, onde, entre Giestas e Sangemil ficava a casa da avó onde Miguel cresceu. Esta explicação veio depois de a “Recantiga” – sétimo tema do alinhamento – em que o público também cantou “(…) E era eu um passarinho, caído do ninho, à espera de ti/ e eras tu, até que enfim, a voltar para mim”. Antes de a “Recantiga” houve “Lurdes”, “Ventura”, “José”, “Romaria das festas de Santa Eufémia”, “Readers Digest” e “Fizz Limão”. Seguiu-se “Sangemil”- homenagem aos tios que ensaiavam na casa da avó e ao modo como o rock & roll entrou na vida de Miguel Araújo, “Meio conto”, “Via Norte”, “Axl”, “Cigano” e uma valsinha composta para a Canção de Lisboa (filme de 2016): “Será Amor” em dueto com Joana Almeirante, um dos elementos do septeto.

A caminho do final veio o “Pica do Sete”,”1987”, “Balada Astral” e a “Dona Laura” para o saravá.

Miguel Araújo

Mas não foi o fim. Miguel Araújo regressou sozinho num medley a pedido que incluiu o “Cartório”, “Capitão Fantástico”, “Anda Comigo Ver os Aviões” e um solo de guitarra. A romaria prosseguiu sem ser a das festas de santa Eufémia. Revelou-se a surpresa de Miguel, uma canção de que é fã, num dueto original com a autora de “Planície”, Mafalda Veiga:

“Pássaros do sul/bando de asas soltas/trazem melodias/p’ra cantar às moças/em noites de romaria/em noites de romaria”.

Encerrou com “Os Maridos das Outras”, no saravá final: “Obrigado Estoril”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.