MATA Foi O Grande Vencedor Do MOTELX 2020

MATA, de Fábio Rebelo, foi a grande vencedora do Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2020 / Méliès d’argent 2020, tendo sido exibida novamente antes de The Rental, filme que marca a estreia de Dave Franco na realização e que foi o escolhido para a cerimónia de encerramento do festival.

O filme conta a história de um casal que se encontra perdido na floresta e sem rede nos telemóveis. Inesperadamente, têm um reencontro que lhes traz consequências aterradoras.

O júri – composto por Pandora da Cunha Telles, João Pedro Rodrigues e Margarida Vila-Nova, disse que  “Este é um filme sólido que joga com o imaginário da literatura fantástica, mergulhando num espaço onde enfrentamos os nossos pequenos medos”, e que, “em escassos minutos e sem pretensões”, “revela a promessa de um jovem realizador”.

O júri atribuiu ainda uma menção honrosa ao filme A Grande Paródia, de André Carvalho, “filme visceral” sobre um realizador que adormece enquanto vê televisão e sonha vender a alma a troco de fama e glória. “Transgredindo a ironia”, a curta-metragem desarmou o júri “pela sua brutalidade” e “pela coragem tocante, no limite da castração e da auto-representação”.

Já no que toca à competição internacional, Pelican Blood, realizado por Katrin Gebbe, venceu o prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia 2020 / Méliès d’argent. Este é o segundo filme da realizadora alemã e explora a agonia de uma mãe que adota uma criança que revela comportamentos perturbadores. “Uma escolha unânime” para o júri composto por Pedro Mexia, Filipe Homem Fonseca e Carla Galvão, que aplaude “um filme que instala uma tensão permanente, um filme sobre o instinto maternal e a saúde mental, sobre a perda e o sacrifício, sobre o mal como proteção, um mal reeducável, que faz apelo à coragem e à perseverança, contra toda a lógica e toda a esperança”.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.