Lee Fields e Escorts aquecem o EDP Cool Jazz

 

Reportagem de Miguel Quesada (fotos) e Alexandra Gil (texto)

 

Miguel Quesada PhotoO soul de Lee Fields e da sua banda, The Expressions, e o disco dos Escorts fizeram a festa no domingo, em mais uma noite do EDP Cool Jazz.

O cantor da Carolina do Sul, um dos sobreviventes do final dos anos 60 que ainda se dedica ao soul, animou a assistência com o seu charme muito característico e, sobretudo, com uma voz em grande forma, que se destacou em “Could have been”, tema que interpretou apenas acompanhado à guitarra.

Pelo palco dos jardins Marquês de Pombal em Oeiras fizeram-se ainda ouvir temas de Faithful Man, o seu último álbum, tais como “I’m Still Hanging On”, “Wish You Where Here” ou “You’re The Kind of Girl”. “Money I$ King”, “Ladies” e “Honey Dove” juntaram-se ao alinhamento, vindos de trabalhos anteriores. Os The Expressions cumpriram e bem a missão, provando que por detrás de um grande cantor está sempre uma grande banda.

Com o público embalado pela soul sulista, subiram ao palco os Escort com o seu disco-funk. Dançar foi mesmo a palavra de ordem durante a atuação da banda elementos vinda de Brooklin e liderada pela ultra-poderosa Adelina Michéle.

“Get on Up” e “Love in Indigo” marcaram a transição de ritmo, sendo seguidos por “Barbariens”, o último single da banda. A festa continuou, mesmo num recinto meio cheio, com “Cocaine Blues”.

Carismática e muito sedutora, Adeline intercalou os temas com um animado diálogo com o público, que não se cansava de dar ao pé. “Dancer” encerrou a atuação, já passava da meia-noite, mas o encore não se fez esperar. “Cameleon Cameleon” e “All Thought the Night” foram a dupla da despedida de uma noite em que os sons da alma e das pistas de dança contagiaram uma audiência escassa, mas animada, nos Jardins Marquês de Pombal.

 

 

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.