Joaninha dos olhos verdes no Teatro Nacional D. Maria II

Reportagem de Madalena Travisco e Joice Fernandes

joaninha_09A Sala Estúdio do Teatro Nacional D. Maria II vai acolher, de 4 de janeiro a 9 de fevereiro, a peça Joaninha dos olhos verdes, escrita por António Torrado a partir das Viagens na minha terra de Almeida Garret, com toques de Shakespeare nas bruxas MacBeth.

No núcleo inspirado pelas Viagens da minha terra, tem-se o próprio Almeida Garret como espírito ou fantasma, consciência ou protetor de Carlos e também narrador, em torno da amizade amorosa de Joaninha e Carlos, da avó de ambos e do Frei Dinis.
Porque se exilou Carlos fora de Portugal, que experiências vivenciou em Inglaterra, fazem parte dos novelos da vida, tais como os amores platónicos, as opções de vida e os ideais dos jovens. Por esse motivo e porque o autor se insere no Plano Nacional de Leitura, a peça tem os estudantes e grupos de escolas como destinatários principais. Durante cerca de hora e meia, desfia-se o romance que conta as guerras do absolutismo com o liberalismo, os ideais da revolução francesa e a vida pacata da Joaninha com a avó no verdejante vale de Santarém.

Vai valer a pena assistir ao desenlace do pedido do Frei Dinis a Carlos: “Aqui estou, penitente aos teus pés, Carlos, faz de mim o que for de tua vontade”.
A peça tem a encenação de João Mota, direção musical de Hugo Franco e conta com a participação de João Grosso (no papel de Almeida Garret), José Neves, Manuel Coelho, Maria Amélia Matta, Bernardo Chatillon, Joana Cotrim, Jorge Albuquerque, Lita Pedreira, Luís Geraldo, Maria Jorge e Rita Figueiredo.

Joaninha dos olhos verdes estará em cena na Sala Estúdio do Teatro Nacional D. Maria II entre 4 de janeiro e 9 de fevereiro. As sessões, para maiores de 12 anos, têm lugar de quarta a sexta-feira às 11h00, aos sábados às 21h15 e aos domingos às 16h15. Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais e custam 12 euros (descontos para grupos, jovens e seniores entre outros).

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.