Jacques Ou A Submissão Estreia-se No TeCA

O Teatro Carlos Alberto (TeCA), no Porto, acolhe de 28 de abril a 2 de maio, a peça Jacques e a Submissão, de Eugène Ionesco, com encenação e cenografia de Jorge Pinto.

Depois de uma curta passagem pelo palco digital do Teatro Nacional São João, o espetáculo do Ensemble – Sociedade de Actores revisita o teatro do insólito do dramaturgo Eugène Ionesco, com música de Ricardo Pinto.

Escrita em 1950, a peça Jacques ou a Submissão foi levada à cena pela primeira vez em 1955 por Robert Postec, no Théâtre de la Huchette. Se na época o espetáculo foi bem recebido pela crítica, nas últimas décadas a peça tem vindo a ser menos representada do que outras obras de Ionesco, como é o caso de A Cantora Careca, A Lição ou Rinoceronte. Numa coprodução com o São João, o Ensemble contraria agora essa tendência, levando a palco a reflexão que Jaques ou a Submissão propõe sobre o conceito de liberdade e de livre-arbítrio.

Preso num jogo de convenções sociais, o protagonista anseia libertar-se destas regras e é conduzido, de acordo com Ionesco, “até à mais completa submissão”. Pontuado por elementos de humor e de histeria, é através de um trabalho sobre a linguagem, do nonsense ao discurso revelado como instrumento de poder, que se assiste a uma transformação do burlesco cómico em grotesco moderno.

Em palco vão estar Emília Silvestre, António Afonso Parra, Clara Nogueira, Miguel Eloy, Filomena Gigante, João Paulo Costa, João Cravo Cardoso, Bárbara Pais e Gabriela Leão.

Esta é uma coprodução Ensemble Sociedade de Actores, Teatro Nacional São João.

A peça pode ser vista entre quarta e sexta-feira, às 19h00 e ao sábado e domingo, às 11h00. A récita de 30 de abril conta uma conversa pós – espetáculo com o crítico e dramaturgo Jorge Louraço Figueira.

O preço dos bilhetes é de dez euros e podem ser adquiridos online e no local.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.