IndieLisboa Está De Regresso A Partir De Dia 2 De Maio

De 2 a 12 de maio, Lisboa recebe a 16ª edição do Festival Internacional de Cinema com duas centenas e meia de filmes agendados em várias salas, entre as quais o Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema.

Uma programação variada e que este ano destaca a cinematografia brasileira atual, bem como um ciclo retrospetivo a Anna Karina, musa da nouvelle vague francesa que vai estar em Lisboa a 8 de maio para apresentar os filmes, e ainda o trabalho singular da dupla Caroline Poggi e Jonathan Vinel na secção Silvestre.

Uma programação que promove o diálogo entre diferentes gerações e geografias do cinema, que se liga às urgências políticas, sociais e estéticas do globo e que se quer de descoberta e festa.

Competição Nacional, Internacional e Sessões Especiais

Entre os 17 filmes da competição nacional destaque para Campo, de Tiago Hespanha, vencedor do principal prémio do programa First Look, no Festival de Locarno para obras em fase de pós-produção. Um filme-ensaio na maior base militar da Europa e que reflete sobre o físico e humano, o transcendente e mundano. Tragam-me a Cabeça de Carmen M., realizado por Catarina Wallenstein e Felipe Bragança, é outro dos destaques. Uma representação histórica do Brasil que mergulha no atual pesadelo político brasileiro.

Regresso também de Catarina Ruivo com A Minha Avó Trelototó. Um filme sobre a ausência, juntando tempos e registos (vídeos, cartas, fotografias) numa homenagem tocante à memória da sua avó. Baseado na peça homónima de Tiago Rodrigues, Tristeza e Alegria na Vida das Girafas acompanha a aventura de uma menina e o seu urso de peluche suicida por uma Lisboa onde a crise espreita a cada encontro. Realizado por Tiago Guedes, é uma comédia doce e triste que conta com os desempenhos de Miguel Borges, Tonan Quito, Maria Abreu, Gonçalo Waddington e Miguel Guilherme.

Já em Mar, Margarida Gil resume a memória da epopeia marítima portuguesa, a polaridade Ocidente/Oriente e o embate com o atual drama dos refugiados. O filme conta com as interpretações de Maria de Medeiros, Pedro Cabrita Reis, Catarina Wallenstein, Nuno Lopes e Augusto Amado.

Nas curtas destaque para as estreias dos filmes de Susana Sousa Dias (Fordlândia Malaise), Catarina Mourão (O Mar Enrola na Areia), Pedro Cabeleira (Filomena) e Jorge Jácome (Past Perfect). A produção nacional recente marca presença nas sessões especiais, com a estreia nacional de Hotel Império de Ivo Ferreira, que trará também ao festival a anteestreia da série Sul, Understory, de Margarida Cardoso, Donzela Guerreira, de Marta Pessoa e Um Ramadão em Lisboa, de Catarina Alves Costa, Amaya Sumpsi e Carlos Lima.

IndieJúnior

No programa de filmes e atividades paralelas dedicado ao público familiar destaque para oficinas, um piquenique e sessões especiais dedicadas à família e ao cinema de animação polaco.

 

IndiebyNight

A Casa Independente volta a ser a casa noturna do IndieLisboa. Estão agendadas festas diárias, como no dia 5 de maio em que Caroline Poggi e Jonathan Vinel, artistas em foco na secção Silvestre, tomam as rédeas da pista.

No dia 8 de maio Gio Arlotta, realizador do filme We Intend to Cause Havoc (competição IndieMusic), o músico Jacco Gardner e a DJ Maria P. vão encher a Casa Independente com os sons da Zâmbia e de todo o psicadelismo do continente africano.

Já no dia 10 de maio, depois de as vermos em tela no filme Ela é Uma Música, vai ser possível assistir ao vivo à celebração do rock no feminino, num concerto que reúne várias gerações de algumas das mulheres que fizeram a história do rock em Portugal: Lena d’Água, Adelaide Ferreira, As Gaijas, The Dirty Coal Train, Anarchicks, Panelas Depressão, Clementine, Decibélicas, Matriarca Paralítica e Aurora Pinho.

As festas de antecipação e encerramento são dois dos pontos altos do IndiebyNight. A antecipação está marcada para 24 de abril nas carpintarias de São Lázaro. O encerramento é na garagem da Culturgest, primeiro com a cerimónia de entrega de prémios e depois com a festa de encerramento.

A 16ª edição do IndieLisboa traz o melhor e mais recente cinema nacional e internacional. De um total de mais de 4500 filmes recebidos foram selecionados 270 (86 longas e 184 curtas metragens) para as várias secções. Este ano vão estar presentes 51 filmes portugueses (15 longas e 36 curtas metragens), 23 dos quais integram a competição nacional (17 curtas e 6 longas metragens).

Os bilhetes para sessão de cinema custam 4,5o euros (exceto maratona boca do inferno, filme concerto, performance videojogo e sessões na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema); para as sessões na Cinemateca Portuguesa custam 3,20 euros; para a Maratona Boca do Inferno custam 8 euros (preço único); o Filme concerto – Mundo Animado: 6 euros (preço único); a Performance Videojogo: 5 euros (preço único); as Sessões IndieJúnior para as Escolas (para público geral) custam 1 euro; as Oficinas pagas IndieJúnior: 5 euros; e os Bilhete Famílias (válido para 4 pessoas nas sessões IndieJúnior Famílias) custam 12 euros, e podem ser adquiridos nos locais.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.