Homenagear E Relembrar A Majora Em Exposição Em Lisboa

Reportagem de Elsa Furtado (Texto e Fotos)

Rever o Sabichão ou o velhinho Jogo da Glória, o Mikado e o Loto, e com eles algumas memórias de infância, vai ser possível de 7 de junho a 29 de setembro, com a exposição Majora – 77 Anos a Entreter os Portugueses, no átrio do Espaço Amoreiras – Centro Empresarial, em Lisboa.

A mostra é organizada pela Edge Arts, que apresenta aqui ao público pela primeira vez, uma parte do espólio da Majora (2%), que estava guardado na fábrica da marca. Jogos de tabuleiro, livros, puzzles, jogos de destreza, cartas e ilustrações pretendem mostrar e relembrar como se brincava em Portugal entre as décadas de 50 a 80 aprendendo sobre Desporto, Geografia, História de Portugal e Cultura Geral, podem aqui ser vistos gratuitamente nos próximos meses.

Esta mostra marca também o relançamento da marca, que durante décadas fez parte do quotidiano e do imaginário dos portugueses, e que encerrou em 2013, a par do museu, tendo sido adquirida em 2014 pela The Edge SGPS.

“Até ao final do ano, vão ser lançados 33 jogos, sendo 11 deles clássicos – mas com novo design, mais atual e apelativo e 22 novos, que vão poder ser adquiridos em quiosques, e algumas lojas de retalho especializado”, contou ao C&H Catarina Jervell – Diretora Geral da Majora, que fez questão de salientar que: “Esta é uma marca muito querida dos portugueses”.

A responsável adiantou ainda que os jogos vão ser produzidos em Portugal e em algumas  gráficas europeias.

A par do relançamento de jogos como O Sabichão – produto estrela da empresa, o Loto, o Ludo e o Jogo da Glória, vão ser lançadas também outras linhas de produtos, como livros infantis – por exemplo e foi feito também um rebranding, que redesenhou o logótipo original da Majora, apresentando agora “novas imagens e mensagens que pretendem comunicar diversão e momentos felizes”.

A curto prazo (até 2018) – está também prevista a abertura de um museu, que ainda não tem local, nem instalações definidas.

Depois de ter sido fundada no Porto, em 1939, por José António de Oliveira, e de ter vividos momentos mais e menos positivos, a Majora promete agora regressar às prateleiras e aos lares portugueses para fazer as delícias de miúdos e graúdos e estimular a convivência familiar e social.

Vamos lá aprender com o Sabichão, o Noddy ou até mesmo o Panda e o Ruca.

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.