Glory Bar Lança Cocktails Originais Inspirados No Mundo Da Espionagem

Por Elsa Furtado (Texto e Fotos)

A noite cai na cidade, indivíduos disfarçados movimentam-se nas sombras, e os mistérios adensam-se, de vão de escada em vão de escada, de porta em porta, de bar em bar, até chegar ao Glory Bar, do Hotel Turim. 

Indivíduos com um ar misterioso ocupam os lugares ao balcão e outros distribuídos pela sala, em grupos ou sozinhos, escondidos atrás do jornal, observam tudo, pouco falam e bebem um dos Notáveis, os novos cocktails da carta do bar.

São 7 as novas propostas (escolhidas de 11 iniciais), bebidas inspiradoras, com um toque misterioso, baptizadas com nomes de espiões conhecidos, que por aqui, e pela Lisboa de outros tempos passaram, criados pela barmaid Ana Matias e pelo barman Fábio Maia, que se inspiraram em personagens e histórias do hotel e do bar.

Começamos com Sir Francis, inspirado no espião inglês Sir Francis Walsingham, cujas peripécias se desenrolaram durante pleno século XVI, tendo servido ao serviço de sua majestade Elizabeth I. É feito à base de Henessy, e acompanha com chocolate&noz e uvas. Tem um preço de 9,50 euros.

Dos tempos da Primeira Guerra Mundial chega-nos Mata Hari, criado em homenagem à espiã holandesa de nome verdadeiro Margaretha Geertruda Macleeod. Entre os ingredientes principais destaca-se Pisang Ambon, licor holandês, iogurte e maracujá. Custa 7,50 euros.

Dos tempos da Segunda Guerra Mundial – Garbo, inspirado no espião catalão Jean Pujol, que chegou a pernoitar no Turim Restauradores Hotel – na altura Suisso Atlântico Hotel. Entre os ingredientes base destacam-se o Vinho do Porto e Licor Beirão Centenário. Custa 8 euros.

Inspirado na Guerra Fria e em Kim Philby, temos o cocktail Philby, servido num copo encarnado e que tem como ingredientes principais Moskovskaya, xarope de canela e alecrim. Custa 8 euros.

Com um paladar tropical e sotaque brasileiro, o Cabo Anselmo homenageia José Anselmo dos Santos, espião brasileiro acusado de promover a indisciplina militar e que foi exilado em Cuba e no Chile após o Golpe de 1964. É sem dúvida alguma uma proposta doce e colorida, composta com leite de côco e abacaxi, servido num copo alto. Custa 9 euros.

Worden é um cocktail inspirado em Harold Worden, da época de espionagem industrial nas décadas de 1970 e 80 nos Estados Unidos. Aqui sobressaem os sabores da aguardente 1920, tangerina e cola. Custa 7,50 euros.

Para terminar, um cocktail de inspiração portuguesa, o FCG, inspirado em Frederico Carvalhão Gil, agente secreto do SIS detido a 23 de maio de 2016 em Roma. Como ingredientes principais temos ginjinha, sumo de lima e pisco. De cariz doce, é acompanhado por um mini pastel de nata. Custa 9 euros.

Senão lhe agrada nenhuma destas propostas, e prefere as mais clássicas é só pedir, nem que seja um Martini – mexido e não abanado, da diversificada carta do bar.

O Glory Bar tem o ambiente ideal para um cocktail de fim de tarde, ou uma late drink entre amigos, com um ambiente vintage, paredes forradas a madeira, vitrais originais assinados pelo artista Amândio Silva, sofás de veludo e ambiente musical relaxante, que nos remetem para um ambiente de princípio do século XX.

O Glory Bar fica no Turim Restauradores Hotel, junto ao Elevador da Glória, uma das mais antigas unidades hoteleiras da cidade, tendo sido fundado em 1947, sob o nome Suiço Atlântico Hotel.

O bar funciona das 16h00 à 01h00, de segunda a domingo. E fica na Rua da Glória, nº 17 em Lisboa.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.