Giacometti em Exposição no Museu Leopold de Viena

Exposição GiacomettiReportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Vistas de longe, as esculturas parecem traços desenhados no ar, mas à medida que entramos na sala principal da exposição Alberto Giacometti. O Modernista Pioneiro no Museu Leopold, em Viena, confirmamos a monumentalidade da sua obra. As esguias esculturas que compõem a entrada, feitas em bronze martelado encontram-se expostas de uma forma que exacerba a sua tridimensionalidade.

Num ambiente ocre, destacam-se no pedestal luminoso. A obra é moderna, mas a envolvente transporta-nos às cavernas e às pinturas rupestres dos nossos antepassados.
Impossível não parar para refletir numa das séries de “O Homem que Caminha”, que alcançou em 2010, em leilão, o ranking das obras de arte mais caras de sempre, ao ter passado para as mãos de um colecionador privado por mais de 74 milhões de euros. A peça representa um homem, com 183 centímetros de altura, a caminhar e é considerada uma das mais importantes obras do artista e um dos ícones da Arte Moderna.

São mais de 150 as peças que compõe esta exposição, uma das mais completas feitas sobre Alberto Giacometti (1901-1966), que atravessa todo o seu trabalho, desde a fase cubista, passando pela surrealista, até aos últimos trabalhos. Em exposição estão também obras dos seus contemporâneos, que deram força a determinadas correntes, bem como de alguns amigos de Montparnasse, Paris. É o caso de Pablo Picasso, Max Ernst, Joan Miró, Francis Bacon, Jackson Pollock ou até, curiosidade lusa, Vieira da Silva com “A cidade azul e amarela”.

A exposição destaca não só o seu trabalho na área da escultura, como também no desenho e pintura. Na ala reservada aos seus trabalhos de juventude, são apresentadas pinturas a óleo suas, juntamente com trabalhos do pai, Giovanni, também ele pintor. Da fase cubista, a partir de 1920 são expostas esculturas e obras dos contemporâneos Brancusi e Juan Gris. Da fase surrealista, conhecemos esculturas como “Mulher reclinada” ou “Cabeça Peering”, enquadradas nas obras de Miró, Magritte ou Max Ernst. Alcança o nível de maturidade inigualável pela década de quarenta, quando se concentra na figura humana e desafia proporções.

A exposição Alberto Giacometti. O Modernista Pioneiro foi feita em colaboração com o Kunsthaus Zurich e a Fundação Alberto Giacometti, também de Zurique. Assinala o 20º aniversário do Museu Leopold e é comissariada por Franz Smola e Philippe Buttner.

This slideshow requires JavaScript.

No Museu Leopold encontra uma interessante mostra da arte moderna e contemporânea austríaca. Para além de exposições temporárias como a que encontra agora com Giacometti (até 26 de janeiro) e Arik Brauer  (até 16 de fevereiro de 2015) há exposições permanentes, feitas a partir das peças da coleção, que vão sendo atualizadas com alguma regularidade. No piso de entrada é exibida a mais completa mostra de trabalhos de Egon Schiele e nos dois pisos superiores, encontram-se obras de artistas austríacos, dispostas cronologicamente: “Viena 1900” expõe algumas das mais famosas peças de Gustav Klimt como “Morte e Vida” ou “Attersee” (de momento emprestada à exposição dedicada a Monet no Belvedere), Egon Schiele, Oskar Kokoschka mas também o mobiliário do movimento Jugendstil, uma espécie de Arte Nova da capital austríaca que teve como principais percursores Otto Wagner ou Adolf Loos. Trabalhos em vidro, jóias, ou mesmo música ajudam a contar a história da evolução estética em Viena. Suportes digitais interativos complementam os painéis informativos, facilitando a experiência cultural. Sempre que possível, há ligação com o exterior, através das gigantes janelas do museu, procurando sempre estabelecer a ponte entre a história da cidade e a envolvente.

O espólio do Museu resulta da coleção de Rudolf Leopold e da sua esposa Elisabeth. No total, são mais de cinco mil obras reunidas durante um período cinco décadas.

This slideshow requires JavaScript.

 

O Museu Leopold fica localizado no Museums Quartier de Viena e pode ser visitado diariamente entre as 10h00 e as 18h00, às quintas-feiras o horário estende-se até às 21h00. Encerra às terças-feiras. A exposição Alberto Giacometti. O Modernista Pioneiro pode ser vista até ao dia 26 de janeiro de 2015.

A entrada com acesso a todas as exposições custa 12 euros (há descontos para jovens, estudantes, reformados e desempregados).

A equipa do C&H viajou para Viena com o apoio da TAP Portugal

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.