Frankenstein no Palco Natural da Quinta da Regaleira

FrankensteinReportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Ainda que o cenário se preste ao terror, Frankenstein que estreia no próximo sábado na Quinta da Regaleira é mais um exercício de palavras e emoções. Sem sangue ou suspense, narra com intensidade uma adaptação da história escrita por Mary Shelley. A própria, também marca presença neste palco, para ajudar a contar a história de um jovem estudante que ousou desafiar os limites da ciência.

Esta produção da Byfurcação leva-nos a percorrer a Quinta da Regaleira, à noite, com as cenas a ter lugar num dos mais excepcionais cenários naturais de Sintra. Publicado em 1818, Frankenstein, é um romance de terror gótico com inspirações do movimento romântico. Relata a história de Victor Frankenstein, um estudante de medicina que constrói um monstro no seu laboratório, a partir da junção de partes de cadáveres.

É a própria Mary Shelley quem surge à entrada da gruta para nos contar como começou a escrever este macabro romance, quando tinha apenas 18 anos. “Os sonhos são pesadelos” adverte, explicando depois que os mistérios das novas ciências e as histórias de fantasmas foram a sua inspiração. A narrativa continua em ambiente palaciano, à varanda, com a introdução do enredo familiar de Victor. A amada Isabel, a criada Justina e o pai despedem-se a custo do rapaz adorado que deixa Genebra para ir estudar medicina para Ingolstadt.

Frankenstein

 

Assistimos a uma dessas aulas, numa das torres da Quinta. Um divertido diálogo em que o jovem estudante começa a desafiar a ética do mestre, fascinado pelos mistérios da ciência e do funcionamento de cérebro. Voltamos a passar pela escritora, ao subir a cascata do recinto, que nos vai acompanhar no desenrolar da tragédia. Monstro, criador e autora cruzam-se nesta adaptação, abrindo janelas de interpretação a quem assiste.
A criatura a quem Victor deu vida não é boa nem má, mas parece ser levada à brutalidade pelo comportamento monstruoso dos que o cercam.

Uma estória perturbadora, no cenário mágico da Regaleira, que vale a pena assistir. E se vir escapar um morcego pelo ar, não é obra da produção, mas um genuíno habitante do local.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

A peça Frankenstein tem encenação de Sérgio Moura Afonso e conta no elenco com Clemente Samba, Érica Rodrigues, Fábio Ferreira, Gonçalo Lima, Joana Lobo, Ricardo Karitsis e Sara Rio Frio.

Em cena nos Jardins da Quinta da Regaleira, em Sintra, até 26 de setembro, todos os sábados, às 21h30. O espetáculo é para M/14 e os bilhetes custam 15 euros.
O espectáculo decorre ao ar livre. A produção aconselha a utilização de agasalho e calçado confortável.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.