Festival Sete Sóis Sete Luas anima Fábrica da Pólvora de Barcarena em Agosto

image002 (1)Vão ser sete os espetáculos apresentados na Fábrica da Pólvora de Barcarena, em Oeiras, entre 4 e 15 de agosto, no âmbito do Festival Sete Sóis Sete Luas. Sempre às sextas-feiras.

No primeiro dia, o Festival abre com o espetáculo Mazação.7Luas.Orkestra, uma história da cidade de Mazagão. Dia 11 de julho apresenta-se Michel Montrond, uma jovem estrela da música de Cabo Verde.

7Sóis.Mythos.Orkestra é o nome da criação artística original do Sete Sóis Sete Luas, surgida do trabalho conjunto de 6 músicos: André Santos (guitarra) e Luzia Vieira (contrabaixo), de Portugal, Daniel Solia (bateria e percussões), de França, Murat Ertel (voz, saz e teremin), da Turquia, Francesca Incudine (voz e percussões), da Sicília, e Patrizio Castiglia (violino) da Toscânia. Chegam dia 18 de julho à Fábrica da Pólvora de Barcarena numa partilha tradições culturais.

Segue-se Akim el Sikameya, a 25 de julho, oriundo da região de Oran (Argélia). A sua música cruza a profundidade e a sensualidade do som árabe-andaluz com sonoridades da música contemporânea, do violino oriental, do som do cajón e da guitarra flamenca, convidando o público à dança. Dia 1 de agosto o palco é tomado pelo bailarino e coreógrafo David Nieto, de Cádiz. Traz o flamenco da região da Andaluzia para o tablau improvisado.

A 8 de agosto é a vez de Vibra.Sóis.Orkestra um espetáculo que atravessa o espírito luso-mediterrâneo através do fado português, as mornas de Cabo Verde, passando pelas tarantelas do sul da Itália. A direção musical está a cargo de Custódio Castelo, mestre da guitarra portuguesa que, para além de ex-guitarrista de Amália Rodrigues, colaborou com os Rolling Stones na produção do álbum “The Rolling Stone Project”.

O Festival Sete Sóis Sete Luas, em Oeiras, fecha a 15 de agosto com a Luasitania Orkestra, criação artística original do evento, que surge do trabalho conjunto de artistas provenientes de diversas terras do Festival: do Brasil (Cacau, voz e guitarra), de Espanha (Efren Lopez, diretor musical e sanfona, e Aleix Tobias, bateria) e de Portugal (Joana Negrão, voz e percussões, e Sofia Neide, contrabaixo)

O Festival é promovido por uma Rede Cultural  que envolve 33 cidades de 13 Países: Brasil, Cabo Verde, Croácia, Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Israel, Itália, Marrocos, Portugal, Roménia e Tunísia. Entre elas, sete são portuguesas. Tem como principal objetivo o diálogo intercultural através da realização de projetos de música popular e de artes plásticas, com a participação de grandes figuras da cultura mediterrânica e atlântica.

Oeiras recebeu pela primeira vez o Festival em 2000, conta este ano no programa com: Mazagão.7luas.Orkestra; Michel Montrond; 7sóis.Mythos.Orkestra; Akim El Sikameya; David Nieto; Vibra.Sóis.Orkestra Luasitania Orkestra.

Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais e custam 2 euros (bilhete individual) e 5 euros (bilhete de família, até 4 pessoas). As crianças só pagam a partir dos 3 anos.

Texto de Tânia Fernandes

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.