Festival MIMO Arranca Dia 21 De Julho Em Amarante

A 2ª edição do Festival MIMO arranca em Amarante, já na próxima sexta feira dia 21, onde vai decorrer até dia 23 de julho, com um cartaz que inclui concertos, projecções de filmes, sessões de poesia, exposições, visitas culturas e muito mais, tudo com entrada gratuita.

O programa desta 2ª edição apresenta 52 atividades de acesso gratuito com artistas de 10 nacionalidades: Portugal, Brasil, França, Etiópia, Camarões, Cuba, EUA, Inglaterra, Cabo Verde e Mali; em seis espaços: Parque Ribeirinho, Museu Amadeo de Souza-Cardoso, Igreja de São Gonçalo, Igreja de São Pedro, Centro Cultural de Amarante e Cinema Teixeira de Pascoaes; abrangendo as áreas da música, cinema, programa educativo, fórum de ideias, chuva de poesia e roteiro cultural.

Do cartaz musical fazem parte nomes como Herbie Hancock, Os Tinariwen, Nação Zumbi, e Manel Cruz (vocalista dos Ornatos Violeta, Pluto, Supernada e Foge Foge Bandido) – que encerra o festival no dia 23 e sobe a palco com Edú Silva (baixo, teclados), Nicot Tricot (flauta transversal, teclados, guitarra eléctrica) e António Serginho (percussão, teclados).

Os Tinariwen, são uma banda Tuareg de guitarras formada no final dos anos 70, vindos do Mali, que atuam no dia 21 de julho. Na mesma data atua a banda pernambucana Nação Zumbi composta por Jorge Du Peixe (voz), Lúcio Maia (guitarra), Dengue (baixo), Pupillo (bateria), Toca Ogan (percussão), Da Lua e Tom Rocha (alfaias), que traz na bagagem o seu décimo álbum, homónimo, que marca o regresso aos originais depois de sete anos de Fome de Tudo e conta com a participação de Marisa Monte.

Atuam ainda Rodrigo Amarante; a cantora londrina, de origem caribenha, Ala.Ni; Jards Macalé; Hamilton de Holanda & O Baile do Almeidinha com Mayra Andrade; o titã do ethio-jazz e o quinteto parisiense Girma Bèyènè & Akalé Wubé; a baterista e compositora Anne Paceo; Ricardo Ribeiro; Três Tristes Tigres; Filipe Raposo; Céu; Richard Bona & Mandekan Cubano e Quarteto Arabesco com Pedro Jóia e Coro da Câmara de Lisboa.

O cartaz de cinema apresenta os filmes: Chico Science – Um Caranguejo Elétrico, de José Eduardo Miglioli; Vinicius de Moraes – Um Rapaz de Família de Suzana Moraes; Tim Maia de Mauro Lima; Mudar de Vida: José Mário Branco, Vida e Obra de Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo; I Love My Label – Discotexas de António Sabino, Pedro Gonçalves e Igor Martins.

O programa educativo conta com workshops de Anne Paceo, Ala.Ni, Rafael dos Anjos, oficina de Walter Areia e uma masterclasse com Pedro Jóia; o Fórum de Ideias com palestras de Manel Cruz, Nação Zumbi, Ricardo Ribeiro e Jards Macalé; e a Chuva de Poesia com textos de poetisas de todo mundo como Sophia Breiner de Mello Andersen, a brasileira Ana Cristina César, a russa Marina Tsvietáieva, a norte-americana Emily Dickinson, a grega Safo e a indiana Rupi Kaur.

Completa a programação um Roteiro Cultural Guiado que visita locais históricos e de natureza de Amarante.

Uma das novidades deste ano é o apoio da Santa Casa Misericórdia de Lisboa e a criação do programa “MIMO Sem Barreiras” que tem como objectivo facilitar a acessibilidade, a integração e a mobilidade de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, durante o festival em Amarante, havendo informação em braille e guias videntes para acompanhar deficientes visuais; guias intérpretes de libras para atender surdos e/ou mudos; e uma área reservada para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida nos locais ao ar livre.

Nesta edição de referir também o aumento e diversificação da zona da alimentação, com destaque para a comida japonesa, mexicana, venezuelana, sem glúten ou vegetariana, além dos tradicionais hambúrgueres, pregos, kebabs, crepes e gelados.

O Festival nasceu no Brasil em 2004 e teve a primeira edição internacional em 2016 na cidade de Amarante.

O acesso ao MIMO é um gratuito.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.