Festival Emergente Decorre No Capitólio A 15 E 16 De Outubro

Um cartaz de música construído com talentos ainda desconhecidos do grande público preenche o alinhamento do Festival Emergente, que vai ocupar o Capitólio, em Lisboa, nos dias 15 e 16 de outubro.

O Emergente procura apoiar a nova geração da música portuguesa, proporcionando a oportunidade de subir a um palco com boas condições técnicas, espaciais e audiovisuais. Nesta edição, foram selecionadas 11 bandas. No primeiro dia e a começar às 18h30, atuam Sreya, Evacigana (19h15), Conjunto Júlio (20h00), Too Many Suns (20h45), Mikee Shite (21h30), Mike Vhiles (22h15), Gator The Alligator (23h00) e Chinaskee & Convidados (00h00). No dia seguinte, sobem ao palco Bia Maria (17h00), Madalena Palmeirim (17h45), Falso Nove (18h30), Quase Nicolau (19h15), Biloba (20h00), April Marmara (20h45), Caio (21h30), Los Chapos (22h30), Humana Taranja (23h15) e Solar Corona (00h00).

Vão ser atribuídos dois prémios: Melhor Concerto Super Emergente (por votação combinada do júri e do público) cujo prémio é a atuação no Festival Rodellus em 2022 e Melhor Projeto Musical (da responsabilidade exclusiva do júri) cujo prémio é a gravação de um EP ou álbum nos Estúdios Camaleão, em Lisboa

No dia 16 de outubro vai ainda ter lugar um espaço de discussão de ideias e partilha de conhecimentos: as Conversas Emergentes. Irão decorrer no Terraço do Capitólio, entre as 14h30m e as 16h45 e reúnem alguns nomes que têm desempenhado um papel importante no trabalho de fortalecimento da música independente que se faz em Portugal.

“Música Emergente em Portugal – Pensar o Futuro”, é o primeiro tema que irá a debate por Alexandra Vidal (Bar Damas), Vitor Belanciano (Público), João Araújo (Festival Rodellus), João Vaz Silva (Força de Produção) e Nuno Calado (Antena 3) com moderação de Luís Masquete. A partir das 15h45 o tema será “Internacionalização – Oportunidades para a Música Emergente”, e será discutido por Nuno Saraiva (Why Portugal), Labaq (Artista), Hélio Morais (Haus) e André Simões (Bullet Seed), mais uma vez moderados por Luís Masquete.

Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais e custam 20 euros (passe geral) ou 15 euros (bilhete diário). Vai ainda ser possível acompanhar o evento em Live Streaming pelo valor de 10 euros. A receita do Live Streaming reverterá integralmente para a União Audiovisual.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.