Festival Bons Sons Em Cem Soldos – Um Amor E Uma Aldeia

Reportagem de Sónia Ramalho (Texto e Fotos)

“O Teu Amor de Verão” foi o mote escolhido para promover o festival Bons Sons e a verdade é que lhe serve que nem uma luva. O Bons Sons é um caso sério de amor à primeira vista. Uma experiência única e uma plataforma de divulgação da nova música portuguesa que permite a descoberta de projetos emergentes, assim como o reencontro com músicos consagrados.

O Festival Trendy

A pequena aldeia de Cem Soldos, em Tomar, serve de palco àquele que se arrisca a ganhar o título de festival de verão mais trendy de Portugal. De 9 a 12 de agosto, Cem Soldos acolheu sem pudores 38.500 visitantes que viveram de perto o ambiente da aldeia, em comunhão com os habitantes, que os receberam de braços abertos.

É a mercearia que está aberta até altas horas da noite, é o café da aldeia que se enche de vida, são as casas que voltam a ter o corrupio do entra e sai de gentes e todas as portas estão abertas para a descoberta de mundos e vivências de outros tempos.

Aqui ainda se vive o momento, ainda se trocam dois dedos de conversa, ainda se passeia pela aldeia e os jogos tradicionais do Hélder – jogos do antigamente – estão espalhados por todas as ruas e ganham destacados no campeonato dos smartphones e das novas tecnologias.

Aqui ainda se pára para respirar e viver o momento, descobrem-se mensagens de amor espalhadas pelas paredes, assinadas pelos artistas do cartaz, que este ano ocuparam oito palcos dedicados a programas distintos, perfeitamente integrados nos espaços de Cem Soldos. E tudo serviu para assistir aos concertos, desde as janelas e alpendres, até aos muros e telhados.

Quinta-feira – Dia 1

No primeiro dia todos ficaram rendidos a uma miúda loira de olhos azuis e voz angelical. Lince, o projeto a solo de Sofia Ribeiro, dos We Trust, espalhou magia pelo Palco Giacometti, bem no centro da vila, onde deu a conhecer uma sonoridade eletrónica ponderada com sensibilidade.

Seguiram-se os Jerónimo, uma banda que junta as influências dos três irmãos Gil (Les Crazu Coconuts), Nuno (Few Fingers) e Luís (Nice Weather For Ducks).

Ao início da noite, The Lemon Lovers subiram ao palco Zeca Afonso, um novo espaço estreado este ano em formato de anfiteatro ladeado por oliveiras e que presta homenagem a Zeca Afonso.

O momento alto do primeiro dia estava reservado para as 21h45, quando Salvador Sobral subiu ao palco e onde confessou estar “muito contente por estar no Bons Sons. É a minha estreia e fiquei muito contente com o convite. A minha irmã disse-me que que só músicos de renome vêm ao Bons Sons”, disse bem-disposto. O público retribuiu e, como não podia deixar de ser, o momento alto aconteceu aos primeiros acordes de “Amar pelos Dois”.

A noite terminou com os concertos de Slow J e Xinobi DJ Set.

Sexta-feira – Dia 2

No segundo dia do Cem Soldos, o amor continuou no ar e Filipe Monteiro, o vocalista dos Tomara, derreteu corações ao convidar Márcia para o palco para juntos cantarem o tema “House”, numa cumplicidade deliciosa, testemunhada pela filha dos dois, que viu pela primeira vez o pai num concerto ao vivo.

Já a noite foi dominada pela sensualidade de Mazgani, o músico iraniano radicado em Portugal e pelo rock psicadélico de 10 000 Russos, que conquistaram o público que encheu o palco Zeca Afonso.

Sábado – Dia 3

O dia de sábado foi o mais quente a todos os níveis, nos termómetros e com concertos escaldantes. Este foi o dia que atraiu mais visitantes, que puderam refrescar-se com um original sistema de ‘rega’ que refrescava quem passava pela rua principal.

Os Jogos do Hélder ajudaram a passar o tempo entre os concertos e este ano foram incluídos alguns jogos com água, para refrescar os visitantes.

O Palco Giacometti recebeu os QuartoQuarto, que no primeiro dia do festival andaram a deixar chaves antigas pelo recinto com a promessa de uma surpresa para quem as encontrasse. E foi durante o concerto que revelaram o enigma: os detentores da chave tiveram acesso ao novo álbum da banda, em exclusivo.

A noite foi dominada pelos concertos de Sean Riley & The Slowriders, que se estrearam em 2007 com o álbum Farewell. Este ano regressaram com um álbum homónimo, que fez as delícias dos espetadores. Mas o momento alto da noite estava reservado para a atuação dos Paus, que levaram o público à loucura.

Domingo – Dia 4

O último dia do Cem Soldos começou a aquecer com a atuação de Luís Severo, cujos singles “Escola” e “Boa Companhia” têm feito sucesso nas rádios. Tal era perceptível no entusiasmo do público, que sabia de cor todas as letras das músicas do artista, que fez recentemente uma residência artística em S. Miguel, nos Açores.

Depois da pausa para jantar seguiu-se o momento de assistir ao concerto dos Dead Combo, que estão de volta com Odeon Hotel, o sexto disco de originais. A noite terminou com os concertos de Lena D’Água e Primeira Dama com a Banda Xita e com a atuação dos Linda Martini.

Ao todo foram apresentados 52 espetáculos em 8 palcos, num total de 202 artistas. Para o ano há mais, naquela que será a 10ª edição deste amor de verão.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.