Festa Do Cinema Italiano Arranca A 1 De Abril Em Lisboa – Festival Adiado Para Data A Anunciar

A 13ª Festa do Cinema Italiano que se realiza a partir do dia 1 de abril em várias cidades portuguesas, irá apresentar mais de 50 filmes, com antestreias nacionais.

Este ano, a Festa do Cinema Italiano decorre entre 1 e 9 de abril, em Lisboa (Cinema São Jorge, UCI El Corte Inglés, Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema), e no Porto (Cinema Trindade). Além disso, passará também por Almada (Auditório Fernando Lopes Graça), entre 1 a 5 de abril; Cascais (cinema da Villa), entre 1 a 5 de abril; Setúbal (Auditório Charlot), de 2 a 5 de abril; Penafiel (Cinemax), 4 e 5 de abril; Alverca do Ribatejo (TEIV – Teatro Estúdio Ildefonso Valério), 4 e 5 de abril; Coimbra (TAGV – Teatro Académico Gil Vicente), de 14 a 16 de abril; Viseu (Cineclube de Viseu), de 14 a 17 de abril; Beja (Pax Júlia Teatro Municipal), de 21 a 23 de abril; Tomar (Cine-Teatro Paraíso), de 12 a 16 de maio; Caldas da Rainha (CCC – Centro Cultural de Congressos), de 20 a 22 de maio; e Loulé(Cine-Teatro Louletano), de 21 a 24 de maio.

O programa da Festa do Cinema Italiano conta com antestreias nacionais, retrospetivas e presenças de atores e realizadores italianos, e ainda para mostras de fotografia, Arquitetura, Gastronomia e ainda realidade virtual (uma das novidades deste ano).

Em antestreia portuguesa, um dos filmes mais esperados do ano, Pinocchio (Pinóquio)de Matteo Garrone, com Roberto Benigni é o filme de abertura de 13ª Festa do Cinema Italiano, que tem lugar no dia 1 de abril, em Lisboa, no Cinema São Jorge, e no Porto, no Cinema Trindade.

Considerado um dos realizadores mais interessantes do novo cinema italiano (Gomorra, Dogman, O Conto dos Contos), Matteo Garrone volta ao clássico da literatura infantil, mantendo as tintas sombrias do original livro de Carlo Collodi. A sessão de abertura conta com a presença do jovem actor Federico Ielapi, de 10 anos que interpreta Pinocchio.

Para a sessão de encerramento, a 9 de abril, no Cinema São Jorge, em Lisboa, a organização escolheu, em antestreia mundial As Coisas Que Nos Fazem Felizes, de Gabriele Muccino, um filme “sobre a amizade e o amor desenvolvido ao longo de várias décadas”.

Vencedor do Prémio do Júri na última edição do Festival de Veneza, chega agora a Portugal, La Mafia Non è Più Quella Di Una Volta (Era uma vez a Máfia), de Franco Maresco, um divertido e surreal filme sobre a vida na cidade de Palermo, através das histórias de quem luta ou de quem convive com as organizações criminosas desta cidade.

A acompanhar este filme há a especial exposição fotográfica Mafia, Passione… Amore, que traz a Lisboa uma das protagonistas, Letizia Battaglia, nome incontornável da fotografia italiana e uma artista reconhecida no mundo pelo seu trabalho único e cru sobre a máfia e os seus crimes.

Livremente inspirado no romance autobiográfico de Jack London, Martin Eden, de Pietro Marcello, foi aclamado pela crítica, um retrato sobre a importância da cultura no mundo. 

Momenti di Trascurabile Felicità, de Daniele Luchetti, apresenta-nos uma comédia que coloca a questão se numa hora e meia de filme teríamos tempo para aquilo que conta realmente. Para estar com as pessoas que gostamos e apreciar as pequenas coisas da vida.

Depois de A Rapariga no Nevoeiro, Donato Carrisi volta ao grande ecrã com L’Uomo del Labirinto, baseado num dos seus best sellers, O Homem do Labirinto. Um thriller frenético com Toni Servillo e Dustin Hoffman como protagonistas que não irá desiludir os fãs do género. 

Nesta edição serão cinco os filmes em competição: Das maiores surpresas do Festival de Veneza, é apresentado Sole, de Carlo Sironi – uma história sobre uma improvável família que se forma com a venda de uma criança; e do Festival de Locarno vem Magari, de Ginevra Elkann, um filme íntimo e surpreendente com um realismo mágico que nos lembra o cinema de Alice Rohrwacher. Por fim, Igor Tuveri (um dos mais premiados autores de banda-desenhada do mundo), inspira-se no seu graphic novel homónima para o filme 5 è il Numero Perfettoonde Toni Servillo é um assassino reformado que tem que voltar ao ativo, nos anos 70. 

Em competição estão ainda Neviade Nunzia De Stefano, um olhar feminino sobre o submundo criminoso das periferias do sul de Itália, e Butterfly, um documentário de Alessandro Cassigoli e Casey Kauffman, sobre Irma Testa, a primeira boxer italiana a participar nos Jogos Olímpicos.

O júri deste ano é constituído pela diretora do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), Beatrice Leanza, a realizadora Leonor Teles e a presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Rio.

Na categoria Altre Visioni serão exibidos La Scomparsa di Mia Madre, de Beniamino Barrese, Il Varco, de Federico Ferrone e Michele Manzolini, e Selfie, de Agostino Ferrente.

Este ano o festival presta homenagem a Federico Fellini, que completaria 100 anos em 2020. Neste sentido, a Festa do Cinema Italiano – associa-se a este movimento, organizando Fellini 100, em colaboração com a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, a Risi Film, a Alambique Filmes e o Instituto Italiano de Cultura.  Uma oportunidade única para ver em grande sala, seis cópias restauradas com a iniciativa Fellini Essenzial e a filmografia completa do mestre italiano com a retrospetiva Tutto Fellini!, desde os clássicos às obras inéditas como programas de televisão, e o filme de Wes Anderson dedicado ao realizador italiano.

Nas sessões especiais serão apresentados os primeiros dois episódios das segundas temporadas das séries de televisão A Amiga Genial, de Saverio Costanzo, baseada nos livros de Elena Ferrante, e The New Pope, de Paolo Sorrentino, protagonizada por Jude Law, bem como da nova série Zero Zero Zero, de Stefano Sollima, a partir do homónimo de Roberto Saviano.

Será também exibida a curta-metragem The Staggering Girl, de Luca Guadagnino, produzido em colaboração com a marca de moda Valentino, com Julianne Moore como protagonista principal. 

A Grande Arte no Cinema, o ciclo de filmes sobre a arte italiana e mundial integra o festival através de um conjunto de títulos de grande interesse sobre a vida de artistas como Michelangelo, Palladio, Bernini e Leonardo Da Vinci.

A Gastronomia volta a ter destaque na festa com o famoso Cine-Jantar, um evento que combina o cinema com o melhor da cozinha italiana. O evento terá lugar no Mercado do Forno do Tijolo, com um jantar dedicado a Fellini e à Gastronomia da sua terra natal, a Emilia- Romanha, e com a exibição do filme Amarcord


A Realidade virtual estará no festival com uma nova secção, dedicada a produções italianas de realidade virtual, no Cinema São Jorge, em Lisboa

Em Lisboa, os bilhetes custam 4,50 euros (bilhete normal) e 3,50 euros ( para menores de 25 e maiores de 65 anos), no Cinema São Jorge e Cinemas UCI – El Corte Inglés e 3,20 euros na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema. A cadernetas de vouchers custa 20 euros (5 bilhetes) e 35 euros (10 bilhetes).

A Festa do Cinema Italiano é organizada pela Associação Il Sorpasso, com o apoio da Embaixada de Itália, do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC, bem como Generali, Canais TVCine e TNT, entre outros.

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.