Espaços Culturais Do Porto Reabrem Ao Público

E arrancou hoje mais uma nova etapa do desconfinamento, que permite a reabertura de museus, palácios, e alguns espaços culturais e de lazer. Na zona do Grande Porto destacamos a reabertura da Fundação de Serralves, Museu do Carro Elétrico e do Zoo de Santo Inácio.

Após reabertura do Parque de Serralves, o Museu e a Biblioteca de Serralves e a Casa do Cinema Manoel de Oliveira convidam ao regresso dos seus visitantes.

O Museu reabre com exposições de Louise Bourgeois, R.H. Quaytman e Nalini Malani, de Korakrit Arunanondchai e Hugo Canoilas e com novas mostras de obras da Coleção de Serralves da autoria de Roni Horn e de Dara Birnbaum. Já a Casa do Cinema Manoel de Oliveira acolhe a exposição Manoel Oliveira Fotógrafo, bem como a exposição permanente Manoel de Oliveira.

Assim, no Museu e Parque, patente até 19 de setembro, está a mostra Deslaçar um Tormento, de Louise Bougeois, com curadoria de Paula Fernandes. Até 30 de maio é possível visitar a exposição O Sol Não se Move, Capítulo 35, de R.H. Quaytman, comissariada por Jaroslaw Suchan. No History in a Room Filled With People With Funny Names 5 do tailandês Korakrit Arunanondchai e do americano Alex Gvojic, estará patente no Museu até ao dia 13 de junho.

Patente até ao dia 9 de maio estará a primeira exposição de Hugo Canoilas no Museu de Serralves, Pólipos Cnidários Reparados pelo Olhar do Observador e Utopia de Nalini Malani pode ser visitada até ao dia 6 de junho.

O mezanino da Biblioteca de Serralves acolhe, até ao dia 3 de outubro, uma seleção de obras de Jorge Molder (Lisboa, 1947) feita a partir de um conjunto mais vasto existente no acervo de Serralves.

O contacto com o público faz-se ainda através das várias exposições de Serralves, em parceria com as autarquias, como a mostra O Grito da Imaginação, de Paula Rego, patente no Centro de Arte Oliva, em S. João da Madeira e a exposição Quase Tudo o Que Sou Capaz, de Ângelo de Sousa, no Museu de Vila Velha, em Vila Real.

Os bilhetes podem ser adquiridos no site e no local.

Na marginal do Rio Douro reabre o Museu do Carro Eléctrico, assim, já é possível visitar de forma autónoma, a exposição, tendo sido definido um número máximo de 30 visitantes em simultâneo. É possível visita guiada, mediante reserva e aos domingos a presença de uma guia dos Serviços Educativos, que promete enriquecer os momentos de visita, com explicações únicas e curiosas sobre os elétricos.

O Museu estará aberto às segundas-feiras, das 14h00 às 18h00; de terça a sexta, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 e aos sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 13h00.

O preço do bilhete é gratuito para crianças até os 6 anos; 4 euros para visitantes dos 6 aos 25 anos e com mais de 65 anos e 8 euros para adulto.

Também as linhas dos elétricos históricos (Infante-Passeio Alegre; Circular Massarelos-Carmo e circular Carmo-Batalha) retomam a circulação regular. Aos sábados, domingos e feriados, os elétricos suspendem a circulação às 13h00.Amanhã, em Avintes, Vila Nova de Gaia, reabre ao público o Zoo de Santo Inácio, com horário de visitas alargado até às 19h00.

O Espaço, que «convida a momentos de natureza, de ar puro e de vida selvagem», ao longo de mais de 15 hectares, convida o público em geral a «apadrinhar um animal e visitar o afilhado sempre que entender; adquirir um cheque prenda da visita ao parque – ZooGift –, válido por quatro meses; ou comprar um ZooCard, que permite usufruir de entradas ilimitadas durante o período de um ano» de forma a fazer face às despesas do zoo.

O Zoo de Santo Inácio, abriu em 2000 e alberga cerca de 600 animais de 200 espécies, tendo já favorecido o nascimento de mais de 150 crias integradas nos programas de Preservação EEP.

Os bilhes podem ser adquiridos no local.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.