Dois Amigos, Um século de Musica de Caetano e Gil Encerraram a 12ª edição do Edpcooljazz

DSC_0323Reportagem de Madalena Travisco (texto) e Joice Fernandes (fotografia)

A tornée comemorativa dos 50 anos de carreira de Caetano Veloso e de Gilberto Gil marcou o encerramento da 12ª edição do Edpcooljazz.

O frio excessivo, inesperado para a última noite de julho, não demoveu a presença de todos os que lotaram o recinto para o espetáculo Caetano & Gil — Dois Amigos, Um Século de Música no Parque dos Poetas, em Oeiras.

Sorrindo aos aplausos, trouxeram “Back in Bahia”, “Coração Vagabundo”, “Tropicália” e “Marginália II” antes da saudação de boa noite e do agradecimento no plural: “ObrigadoS!”. Não foram muitas as palavras fora das canções do alinhamento; apenas alguns encorajamentos ao acompanhamento de alguns refrões. As cordas dos violões dos próprios foram acompanhando as vozes ora de Caetano, ora de Gil, ora de ambos em “É luxo só”, “É de manhã”, “Sampa”, “Terra”, “Nine out of ten”, “Odeio você”, “Tolada de Luna llena”, “Eu vim da Bahia”, “Super-homem (a canção), “Come prima”, “Esotérico”, “Tres palabras”, “Drão”, “Não tenho medo”, “Expresso 2222”, “Toda a menina baiana”, São João, Xangô menino”, “Nossa gente (avisa lá)”, “Andar com fé” e “Filhos de Ghandhi”.

[satellite auto=on caption=off thumbs=on]

 

E porque duas dúzias de canções não saciaram quem quer sempre mais, os amigos Caetano e Gil trouxeram três temas para o encore: “Desde que o samba é samba”, “Domingo no parque” e “A luz de Tieta”.

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.