Dissecção de Vhils no Museu da Eletricidade em Lisboa

vhils

“Panorama”, atualmente em destaque à entrada do Museu da Eletricidade, é um exemplo da obra monumental de Alexandre Farto – também conhecido com Vhils – e a porta para a exposição Dissecção. O mural de 360º que cobre o gigante reservatório revela rostos de pessoas, o principal motivo trabalhado pelo artista, que faz da rua o seu palco de trabalho.

Dentro do Museu, o trabalho de Vhils é literalmente dissecado e dado a conhecer ao público, desde a fase de conceção, de recolha, na rua, de testemunhos e reflexões de anónimos sobre a sua vida, até à fase de produção que é muitas vezes acompanhada de uma verdadeira explosão de criatividade e não só. As paredes perfuradas, os cartazes sobrepostos, o metal corroído pelo ácido são alguns dos materiais utilizados pelo artista no seu olhar sobre a sociedade urbana contemporânea. As figuras surgem através da remoção controlada de camadas, que é depois entregue às mãos da natureza. As fachadas de prédios são as suas telas mais comuns, nas quais “escava” a imagem. No caso desta exposição, recorreu também a outro tipo de suportes como a esferovite, portas e até uma carruagem de metro para comunicar.

Dissecção é a maior exposição realizada pelo artista até à data. Alexandre Farto apresenta uma linguagem visual única, que deriva do seu background na pintura de graffiti. Hoje já não tem de o fazer às escondidas e os convites para trabalhar em projetos e exposições têm chegado de países como Reino Unido, França, Brasil, China, Austrália, Suíça, Itália, e EUA, entre outros.

 

Para além das obras, nesta mostra pode-se assistir a vídeos sobre os projetos de Vhils. A exposição Dissecção pode ser visitada até ao dia 5 de outubro no Museu da Eletricidade em Lisboa de terça-feira a domingo, entre as 10h00 e as 18h00. A entrada é gratuita.
Últimos dias de exposição com horário alargado, às sextas-feiras e sábados até às 22h00.

Reportagem de Tânia Fernandes

 

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.