Dia Internacional Dos Monumentos E Sítios Assinala-se Quinta Feira

Assinala-se quinta-feira, dia 18 de abril, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que visa promover os monumentos e sítios históricos e valorizar o património português, ao mesmo tempo que tenta alertar para a necessidade da sua conservação e protecção, e este ano tem como tema: “Património e Paisagem Rural” (relacionado com o significado cultural atribuído pelos habitantes e comunidades aos espaços naturais).

Durante esta semana, e especialmente na quinta feira, decorrem várias iniciativas para celebrar a data, como visitas e entradas gratuitas nos monumentos afetos à DGPC (Direcção Geral do Património), e outros de gestão privada, ao longo de todo o país.

No Douro, o Museu do Douro, acolhe no dia 18, pelas 15h00, uma apresentação da tradução portuguesa da Carta de Princípios ICOMOS-IFLA sobre a “Paisagem Rural como Património”. Segue-se uma mesa redonda centrada na preservação da paisagem rural em vertentes como o Turismo, a Agricultura, o Ordenamento do Território e o Património. Inscrições junti da Fundação Museu do Douro, FP Rua Marquês de Pombal, Peso da Régua.

Em Lisboa, o Museu Nacional dos Coches apresenta uma programação que visa sensibilizar diferentes públicos para a salvaguarda e a valorização do Património que os rodeia, com início às 10h00, com a “Visita aos Espaços Arquitectónicos do Novo Edifício”, com orientação de Nuno Costa (Arquiteto do Atelier Back Gordon). A visita tem um máximo de 25 participantes, sendo de inscrição prévia para o email: comunica@mncoches.dgpc.pt.
Às 11h00 tem lugar a oficina “Vamos Para Dentro, Cá Dentro”, com orientação de Rita Dargent – Oficina de Conservação e Reservas Museológicas. O máximo é de 12 participantes. Inscrição prévia para: ritadargent@mncoches.dgpc.pt.
Para os mais novos, às 14h30, tem lugar a Visita Peddy-Paper, “À Descoberta da Coleção” – com orientação do serviço Educativo. O máximo é de 25 participantes, entre os 7 e os 12 anos, mediante inscrição para: servicoeducativo@mncoches.dgpc.pt.
E às 16h00 tem lugar o concerto The American Songbook, um Concerto de Jazz na Exposição do Novo Edifício do MNC, por alunos e professores da Licenciatura em Jazz e Música Moderna da Universidade Lusíada de Lisboa. Com entrada livre.

Já o Museu Nacional de Etnologia e o Museu de Arte Popular convida a participar numa visita que transportará o visitante de Norte a Sul de Portugal. Este percurso inicia-se com a visita guiada às Pinturas Murais do Museu de Arte Popular, realizadas em 1948, por ocasião da adaptação do edifício a museu, no âmbito de projeto de António Ferro, de cunho marcadamente ideológico, em íntima articulação com a política de propaganda nacionalista do Estado Novo.
Da autoria de Carlos Botelho, Eduardo Anahory, Estrela Faria, Manuel Lapa, Paulo Ferreira e Tomás de Melo, estas pinturas constituem indiscutível ex-libris do MAP e uma das principais valias do seu património integrado, retratando as diversas regiões do Continente através de algumas das suas tradições mais emblemáticas.
A visita prossegue depois nas Galerias da Vida Rural, uma das Reservas Visitáveis do Museu Nacional de Etnologia, na qual se reúne o mais relevante património etnográfico nacional alusivo à agricultura, pastorícia e tecnologia têxtil, que ocupavam um lugar de central importância nas comunidades rurais.Este conjunto de 3.000 objetos, no qual se integram coleções do MAP, foi reunido na sua grande maioria pela equipa fundadora do Museu Nacional de Etnologia, a quem se deveu também a produção do conhecimento científico de referência sobre inúmeras dimensões da cultura tradicional portuguesa. É para a paisagem rural que estes milhares de objetos nos remetem: o arado, com que por todo o país se rasgava a terra para cultivar o pão e o linho; a jangada, a bordo da qual se apanhava o moliço à beira-mar para fertilizar as terras pobres do litoral; a cabana do pastor que guardava os rebanhos que produziam a lã; o taipal, utilizado no Sul para a construção das casas de adobe; ou a atafona, de tração animal, utilizada nos Açores para a moagem do cereal.
Estão programadas ainda algumas atividades para os mais jovens, com visitas orientadas, acompanhadas de peddy-papers, sobre as Pinturas Murais do edifício, destinadas a famílias, assim como a grupos escolares do 1.º e 2.º Ciclos.
A entrada é gratuita, sujeita a marcação prévia para o email: servicoeducativo@mnetnologia.dgpc.pt.
As visitas ao Museu de Arte Popular podem ser feitas entre as 10h30 e as 11h30 e as 14h30 e as 15h30; e ao Museu Nacional de Etnologia, entre as 12h30 e as 13h30 e as 16h30 e 17h30.

Também neste dia o Amoreiras 360º Panoramic View convida a celebrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, com entradas gratuitas. Durante todo os dia 18 vai poder subir ao miradouro de forma gratuita, neste dia, bastando apenas dirigir-se à entrada, no piso 1 do Amoreiras Shopping Center, entre as 10h00 e as 12h30 ou entre as 14h30 e as 22h00.
O Amoreiras 360º Panoramic View, um de vários espaços a aderir a este Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, é o Miradouro mais alto da cidade. No topo, os visitantes têm uma vista a 360 graus de Lisboa, podendo observar o Tejo, a Ponte 25 de Abril e o Cristo Rei, o Castelo de São Jorge e a Torre de Belém, entre outros pontos estratégicos da cidade. A entrada para um adulto custa habitualmente 5 euros.

O Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, é um dos mais importantes museus de Portugal, pela sua coleção singular, dedicada ao azulejo, e pelo edifício em que se encontra instalado, o antigo Convento da Madre de Deus, fundado em 1509 pela rainha D. Leonor.

Pelas 10h30 há uma visita ao Convento/Museu, e também um peddy paper e jogos de exploração do museu para famílias com crianças até aos 10 anos, também às 10h30. Às 12h00 tem lugar uma Oficina de pintura de azulejo e, pelas 15h00, “A Cidade do Futuro está em Marvila”, percurso por este bairro histórico, sob orientação de António Miranda, historiador da Câmara Municipal de Lisboa, onde serão relembradas vivências rurais e industriais de outrora, mas sobretudo um bairro que, tal como o resto da cidade, vive mudanças profundas. A Marvila do futuro. O caminho que se prevê.O programa é gratuito, mas é necessária uma inscrição prévia até ao dia 17 de abril, às 17h00. 

Em Queluz a proposta é para visitar gratuitamente à noite o Palácio Nacional de Queluz.

Palácio de Queluz

As visitas, que incluem também o acesso ao Jardim de Malta e ao Jardim Pênsil, são gratuitas e decorrem entre as 20h00 e as 00h00, sendo a última entrada às 23h30. O evento tem uma capacidade limitada a 2.800 pessoas e exige inscrição prévia.
O Palácio Nacional de Queluz está construído numa região cuja paisagem se alterou radicalmente desde o século XVIII até ao presente. Com o intuito de mostrar como a Quinta de Queluz se transformou em Palácio Real, será exibido, no auditório do palácio, localizado junto à cafetaria, um pequeno filme de animação pensado para todos os públicos.
Tanto a cafetaria, como a loja do Palácio, estarão abertas para apoio aos visitantes que participem na iniciativa.

Em Setúbal o MAEDS – Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal / AMRS – Associação de Municípios da Região de Setúbal preparou um dia aberto dedicado a Castro De Chibanes, com o objetivo de mostrar a todos os públicos interessados esta parcela do nosso património cultural.
Localizado na Serra do Louro, Concelho de Palmela, o Castro de Chibanes é considerado um Lugar de Memória Coletiva da maior importância, sendo um Monumento de Interesse Público. A sua longa diacronia permite percorrer um trajeto da nossa Pré-história, Proto-história e Período Romano Republicano, desde há cerca de 5000 anos até há cerca de 2000 anos.
O Castro de Chibanes tem sido objeto de escavações e estudo pelo MAEDS/AMRS e nele é possível observar a sobreposição de três fortificações: calcolítica, sidérica e romano-republicana.
Vai haver visitas guiadas feitas pela arqueóloga da equipa do CEA – Centro de Estudos Arqueológicos do MAEDS, Teresa Rita Pereira, entre as 10h00 e as 12h30 e entre as 14h00 e as 18h00, assim como Ateliês pedagógicos para crianças e adultos, destinados à descodificação do Castro de Chibanes e à paisagem da Pré-Arrábida, por Ana Isa Férias, Serviço Educativo do MAEDS, também entre as 10h00 e as 12h30 e entre as 14h00 e 18h00. Teremos ainda, entre as 16h00 e as 18h00, uma Recriação histórica com figuração de legionários romano-republicanos. Guildas Áureas.
Para mais informações sobre o sítio arqueológico de Chibanes visite o site do MAEDS.

Em Beja, a data assinala-se no Moinho Grande. Localizado nos arredores de Beja, é propriedade da família Soares, que tem desde há várias gerações garantido a sua salvaguarda, permitindo hoje a sua dinamização, e (re)valorização paisagística da envolvente da cidade. O Moinho Grande, para além da sua beleza inegável, é símbolo de património ímpar, onde o vento dava lugar à farinha e daí ao pão. Na quinta feira terão lugar visitas guiadas pelo Sr. Francisco Soares e uma sessão de Contos promovida pela Biblioteca Municipal de Beja.

O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios foi criado pelo ICOMOS a 18 de abril de 1982 e aprovado pela UNESCO no ano seguinte. Esta comemoração tem como objetivo sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para o esforço envolvido na sua proteção e valorização.

O programa completo das celebrações do Dia Internacional Dos Monumentos e Sítios pode ser vista aqui.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.