Programação da Culturgest para os próximos meses aposta forte na Dança, Jazz e Workshops

cgdA proposta da Culturgest para os próximos meses segue o rumo que nos é familiar, mas não se torna por isso menos interessante. A oferta cultural que inclui Lisboa e Porto, engloba um vasto programa musical com destaque para o jazz, dança, cinema, teatro, workshop, conferências, exposições, o Novo Circo na altura do Natal e uma visita aos bastidores da Culturgest.

Desta proposta faz também parte um serviço educativo com oficinas para as crianças e jovens, espectáculos para famílias e grupos escolares, cursos para adultos, professores, educadores, mediadores culturais e educadores de museus. No cinema, destaque para o DocLisboa, parte do festival continua a fazer parte do projeto.

Mas as propostas não ficam por aqui, o Instituto Cultural Romeno e a produção da Associação IndieLisboa vão apresentar uma mostra de cinema romeno, quase desconhecido em Portugal. E tal como em anos anteriores mantem-se um dia dedicado aos filmes premiados no CINEANIMA de Espinho.

Na dança, enfâse para quatro espectáculos, todos de reconhecidos nomes da coreografia actual. Rui Horta apresenta a sua obra mais recente, A Hierarquia das Nuvens; Ann Papoulis Adamovic traz o solo Mirage; Joana Providência apresenta Território e Olga Roriz apresenta o solo Os Olhos de Gulay Cabbar, antecipando assim os 40 anos de carreira desta grande bailarina e coreógrafa.

No teatro, a Culturgest apresenta duas obras inglesas que serão apresentadas na mesma noite (pagando apenas um bilhete). As propostas são O Espectáculo do Futuro e O Que Acontece à Esperança ao Fim da Noite. Vai ser ainda possível assistir à peça Nova, Caledónia do artista visual André Guedes e do ator e encenador Miguel Loureiro.

Na música, o jazz enche o programa, jazz em todas as suas manifestações contemporâneas, umas mais mainstream, outras que derivam do free jazz e da livre improvisação.

Vale ainda a pena assistir a um ciclo de conferências dedicado à arquitectura palaciana urbana de Lisboa do séc. XVI ao Terramoto bem como à 2ª edição do workshop “Empreender e Financiar Projectos da Industrias Criativas”.

Por fim, relevo para a exposição Querido, Reorganizei a Colecção…por Artista. Cartazes da Colecção Lempert (Capitulo 1/1ª Parte). Trata-se da primeira exposição centrada numa colecção privada de cartazes de artistas consagrados, sobre exposições.

Texto de Teresa Leal
Foto arquivo C&H

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.