D. Maria II leva a cena As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant

O Teatro Nacional Dona Maria II leva a cena na Sala Estúdio a peça As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, de Rainer Werner Fassbinder e encenação de António Ferreira, com Custódia Gallego e Inês Castelo- Branco nas protagonistasque vai estar em cena até 6 de novembro, de quarta a sábado às 21h45 e domindo às 16h15.

Esta é uma das obras mais conhecidas do cineasta alemão do pós-guerra, Rainer Werner Fassbinder, As Lágrimas Amargas de Petra von Kant. O retrato da vida de Petra von Kant, uma estilista alemã de renome, foi o ponto de partida para Fassbinder refletir desde as relações amorosas ao papel do homem na sociedade moderna. A escolha desta peça acontece pela vontade de retirá-la dos anos setenta, onde foi fixada pelo cinema, e revê-la, quarenta anos depois, numa sociedade talvez igual ou talvez diferente.

Quando uma relação se estraga vem o nojo, o ódio. Os homens e a vaidade…pouco a pouco, vi que me tinha enganado com ele, comigo, e decidi acabar.Acabar com o meu amor por ele. Cheirava mal! Cheirava a homem. Tal e qual os homens cheiram. E a maneira como me possuía… Os homens são tão estúpidos. Também eu tive de lutar, e com força, muita força. As coisas são assim. Você tem uma bela figura Karin, merece uma oportunidade. Venha-me visitar quando puder. Eu vou fazer… de ti um modelo de grande classe.Palavra! És bela, Karin. Tudo está traçado de antemão, de uma maneira ou de outra. Tenho a certeza. Conheço-me, Karin. Não me aborrecerás. Conheço-me. Sinto-me muitas vezes sozinha. Juntas seremos felizes. Amo-te. Amo-te, Karin. Amo-te. Nunca, nunca senti amor por uma mulher. Sou louca, Karin, louca! É belo ser louco. É loucamente belo ser louco. Merda. Eu também, eu também!… Ora diz eu amo-te, Petra… Tens a pele mais bonita do mundo… e o mais bonito cabelo, e os mais bonitos ombros e… os mais bonitos olhos. Amo-te, amo-te, amo-te. Amo-te Karin. Poderia ficar eternamente abraçada a ti. Sim, mente-me. Por favor, mente-me. Dói-me tanto o coração. (excertos do texto original)

O realizador António Ferreira estreia-se no teatro com a encenação de um texto que já foi adaptado tanto para o cinema como para o teatro e conta com as interpretações de Custódia Gallego, Inês Castelo -Branco, Diana Costa e Silva, Cláudia Carvalho, Isabel Ruth e Paula Mora. Os figurinos são da autoria de José António Tenente e a cenografia é de Luísa Bebiano.

Texto de Clara Inácio
Foto de António Ferreira cedida pelo Gabinete de Comunicação do TNDM II

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.