Crimes E Muito Humor Na Suite 647 Em Cena No Casino De Lisboa

Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Suite 647

Um quarto de hotel, a Suite 647 que dá o nome à peça, e portas que dão acesso a períodos distintos no tempo: 1998, 2018 e 2038 fazem parte da comédia negra que estreou esta quarta-feira, no Auditório dos Oceanos, no Casino de Lisboa. Crimes enrolados em episódios absurdos e um crescendo de suspense que mantém o espetador atento durante cerca de duas horas consecutivas, são a proposta da mais recente produção da UAU.

E se fosse possível reescrever a história? Se pudesse voltar a entrar num quarto de hotel, vinte anos antes, e mudar o rumo dos acontecimentos?

A peça começa em 2038. Um gestor de idade avançada contrata uma prostituta para vir à suite 647. No entanto, ao chegar ao quarto de hotel a fogosa Poupée (Gabriela Barros) é surpreendida por outro tipo de tarefas. É-lhe pedido, simplesmente, que seja testemunha da assinatura de uma confissão. Na reta final dos seus dias, Ricardo (Sérgio Praia) quer simplesmente liberta-se do peso de ter assassinado as suas primeira e segunda esposas. Isto, com a cumplicidade do sinistro colaborador Julião (Ruben Madureira). Mas quando Ricardo colapsa, Poupée acha que vai ser a próxima vítima de Julião e foge… por uma porta que a leva ao ano de 2018, onde conhece a segunda esposa de Ricardo, Renata (Manuela Couto), ainda viva.

Os diálogos frenéticos, condimentados de absurdo e alguns momentos sinistros seguram o espetador pela viagem temporal, que recua ainda vinte anos e dá-nos a conhecer uma hilariante Jéssica (Sissi Martins), a primeira esposa, assim como o empregado de hotel Arnaldo (Jorge Corrula). Excelentes desempenhos fazem com que se acompanhe estes sobressaltos temporais com entusiasmo, sempre na expectativa de saber qual o desenlace final, num cenário em que tudo parece possível. Assim haja portas por abrir!

O guião foi escrito originalmente em 1994 pelo inglês Alan Ayckbourn a versão agora em cena, traduzida e adaptada por Fernando Villas-Boas, tem encenação de Fernando Gomes.

Suite 647 pode ser vista no Auditório dos Oceanos do Casino de Lisboa, de quinta-feira a sábado, às 21h30, e aos domingos às 16h30. Os bilhetes custam entre 18 e 20 euros. Estreia no Teatro Sá da Bandeira a 13 de setembro e pode ser vista nos mesmos horários. Os bilhetes custam entre 10 e 20 euros.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.