Concerto em Degradé: Da Ópera ao Rock Ao Vivo MEO Arena

Reportagem de Madalena Travisco (Texto) e Joice Fernandes (Fotografia)
 

Musica em DegradeA primeira edição dos Concertos em Degradé em Portugal teve palco na MEO Arena na noite de 20 de novembro, conciliando canto lírico, fado, música pop e rock português. Esta edição contou com Elisabete Matos, Camané, Jorge Palma e Xutos & Pontapés, numa mistura de estilos e ambientes, complementada pelos Dj’s Beatbombers e o Quarteto de Cordas Alis Ubbo Ensemble, que abriram o concerto.

A soprano esteve majestralmente acompanhada pela Orquestra do Porto e arrepiou com todas as interpretações, sendo “Carmen” visivelmente a mais reconhecida. Com Jorge Palma ao piano, Elisabete entoou o “ai que linda moça” sem disfarçar os jeitos líricos que lhe vêm da alma.

Na transição, o som da guitarra de fado sobrepôs-se, com a harmonia de sempre, ao quarteto de cordas, ao mesmo tempo que se retiravam do palco as cadeiras e os instrumentos da orquestra. Os instrumentos deram espaço à voz de Camané em seis fados: de” Mais um Fado no Fado” até ” Saudades Trago Comigo”, acompanhados de José Manuel Neto, Carlos Manuel Proença e Paulo Vaz.

Xutos & PontapésO intervalo serviu não só voltar a preparar o palco para o “Circo de Feras” que viria a seguir, como também para apelar à boa utilização de uma moeda, se for para fins solidários. Este concerto é disso um bom exemplo.

“A Escola” trouxe Jorge Palma de volta ao palco para os seus seis temas. “Noite variaaaaada!…. Lets help again (like we did last summer )”, sintetizou Palma, num trocadilho da música original com um apelo à solidariedade. Mais tarde referiu que não podemos privar da dignidade aqueles que precisam de desesperadamente de ajuda.

O quarteto anunciou um “Final Countdown” e chegaram as feras com “Há Dez mil Anos Atrás”, levantando os primeiros corajosos das cadeiras. Numa evocação à amizade, Camané acompanhou os Xutos no “Circo de Feras” e no “Homem do Leme”. A noite já ia dentro, mas a plateia resistiu.

Jorge Palma teve razão. Foi uma noite bem variada. O silêncio respeitoso com que se escutou o canto lírico, o encantamento da alma com o saudoso fado, as entoações das músicas do Palma e o crescendo das músicas dos Xutos, tudo foi em “gradé”. Muito poucos foram os que ficaram sentados nos temas que encerraram o concerto.

[satellite auto=on caption=off]

 

A Música em Degradé é o primeiro grande projeto musical da Let’s Help, “que é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao empreendedorismo social e que surge como um fundo de investimento social, angariando fundos através de eventos e de muitos outros projetos”.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.