Cluedo 1908 – Quem Matou O Grão-Mestre Interino Da Carbonária?

Reportagem de Elsa Furtado (Texto e Fotos)

Estamos a 30 de janeiro de 1908, em Portugal, e recentemente houve uma tentativa de golpe de Estado contra a monarquia e a governação de João Franco, que ficou conhecida como o Golpe do Elevador da Biblioteca. Não se sabe exatamente quem foram os culpados, suspeita-se dos republicanos e de algumas seitas e grupos ligados a eles, como a Carbonária.

Mas o ambiente que se vive por todo o país é instável, de revolta e de contestação ao rei e ao regime, havendo vários planos para acabar com a sua vida. Entre os mais fervorosos e entusiásticos apoiantes da morte da família real está a Carbonária, uma das sociedades secretas que proliferam nesta época e que é liderada pelo Grão-Mestre Luz de Almeida, que se encontra preso na sequência do Golpe de Estado.

A chefiar as hostes ficou o Grão-Mestre interino Adriano da Costa Soares (que se encontrava escondido num palacete no Concelho de Sintra) e que tinha como missão, entre outras, coordenar o assassinato do rei D. Carlos, e tudo corria mais ao menos como planeado, até que recentemente Adriano é morto, surge então a questão: “Quem matou o Grão-Mestre interino, uma vez que só 5 pessoas sabiam onde estava escondido?”

Manuel Galvão Castro, Francisco Albuquerque, o advogado Eduardo Aguiar, o médico Constantino Alves Ribeiro e a Menina Simone Toussert são as cinco pessoas, membros da Carbonária e que conheciam o paradeiro do Grão-Mestre interino, sendo que alguns deles tinham a chave da casa. “Terá sido algum deles o assino? Qual?”

E está dado o ponto de partida para o primeiro Cluedo Teatral Histórico – 1908 produzido pela Don’Adelaide Produções, em conjunto com a Byfurcação Teatro e a Câmara Municipal de Sintra.

Para resolver o mistério são convidados 40 “Primos”, que vão ser divididos por 5 Vendas, num máximo de 8 elementos cada: Pátria, Verdade, Progresso, Igualdade e Justiça, e que durante cerca de uma hora e meia vão poder visitar o local do crime, conversar e interrogar os suspeitos e encontrar o assassino … ou talvez não. E mais não revelamos para não estragar a experiência.

O 1908 – Cluedo Teatral tem lugar todas as sextas-feiras e sábados, às 21h30, até 27 de maio, na Quinta Nova da Assunção, em Belas, e é da autoria da Don’Adelaide Produções.

Conta com as interpretações de Carlos Paiva, Guilherme Barroso (actor convidado), Joana Almeida, João Cruz e Paulo Cintrão da Byfurcação. A produção é de Paula Carvalho.

Os bilhetes custam 15 euros, 12 euros para grupos de seis ou mais pessoas que reservem através do email, e podem ser feitas para donadelaideproducoes@gmail.com ou pelo telefone 965892293.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.