Cinema Nimas, em Lisboa, renova-se com programação culturalmente diversificada

O Cinema Nimas pretende fazer de 2012 um novo marco na sua história. O Wake up Nimas!, agendado para hoje, dia 23, será o primeiro evento desta nova vida, que pretende revitalizar um espaço emblemático da vida cultural e cinematográfica de Lisboa.

O Wake up Nimas! vai reunir diversos artistas que pretendem demonstrar o apoio ao novo projecto da Medeia, entre eles João Botelho (vai apresentar os seus trabalhos sobre Carminho), os A Jigsaw (vão musicar ao vivo o filme de António Ferreira, Respirar [Debaixo D´Água]), e os Noiserv (apresentam com Paulo Dias o projecto Sessão Dupla). A noite termina com os Pinto Ferreira e Samuel Úria, que vão animar a área lounge do Espaço Nimas.

Este novo projecto pretende transformar o Nimas numa verdadeira “casa do cinema”, mas também vai apresentar “uma programação transversal e em diálogo com outras artes (música, performance, literatura…) e saberes (programadores, teóricos, críticos…), proporcionando uma oferta alargada e de qualidade que possa facultar ao nosso publico uma experiencia directa e participativa dos conteúdos propostos”, esclarece um comunicado, que revela que o espaço vai receber nos próximos tempos alguns dos eventos culturais do país, como o APORDOC, Queer Lisboa, Moda Lisboa e o Ncreatures. Segundo o comunicado, “o espaço Nimas será um criativo open space onde conteúdos de qualidade e interesse se podem associar com o objectivo de criar uma programação única capaz de fidelizar público”.

No dia 30 de janeiro acontece o Nimas Convida, concretamente com a realizadora de cinema documental Susana de Sousa Dias (João Salaviza e Gonçalo Tocha são os próximos).

Em fevereiro decorre o Vamos ao Nimas!, “uma homenagem aos primeiros anos de programação do Cinema Nimas (1975/1985) com a projecção de alguns dos títulos que mais marcaram a memória dos espectadores naquela época”, clássicos do Nimas como Chove em Santiago, de Helvio Soto, Não Toques na Mulher Branca, de Marco Ferreri, e As Horas de Maria, de António de Macedo.

Texto de Cristina Alves
Fotos gentilmente cedidas pela organização.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.