Cidadela Art District abre portas em Cascais

cidadela_01Reportagem de Tânia Fernandes e António Silva

Cidadela Art District é o projeto que tomou conta dos vários espaços da fortaleza de Cascais, espalhando a intervenção artística por galerias, lojas, estúdios de trabalho e a própria pousada. A iniciativa do grupo Pestana abriu portas este sábado e muitos foram os que quiseram ver as exposições dos novos criadores, onde e como trabalham os artistas e ainda espreitar os quartos de autor bem como os espaços onde a criação artística invadiu a unidade hoteleira. A arte associada ao turismo, que transformar em espaços expositivos toda a Cidadela, desde a Pousada às muralhas da Fortaleza, numa dinâmica constante entre os artistas de residência periódica e os artistas convidados.

Há seis galerias de arte abertas. A Magnética Magazine, que é também um espaço de divulgação de tendências, ideias e projetos; o Espaço Branco, uma zona dedicada às letras, com edições próprias; a Viarco que explora não só conceitos de desenho como de produção de materiais; a Cinco, que até maio tem os quadros de Luís Alegre em exposição; a Raw Art, galeria de arte bruta, primeira do género em Portugal e a Allarts que de momento, apresenta pinturas de Kiki Lima, artista de Cabo Verde.

O piso superior destas galerias é ocupado por artistas, que, no dia da inauguração, abriram portas dos seus estúdios, dando-se a conhecer e aos seus trabalhos. Pudémos assim ver a pintura por camadas de Pedro Matos; os neons românticos de Bruno Pereira, que alinha cães de loiça a um dos cantos, matéria prima das suas criações; as texturas de Paulo Brighenti; a fotografia de Duarte Amaral Netto; a arte digital de Susana Anágua; e a conhecida  pintura mural  de Paulo Arraiano, que mais recentemente avançou para uma linguagem visual de linhas, formas e cores mais orgânica.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Cada um destes artistas decorou um quarto na Pousada de Cascais. O quarto de Duarte Amaral Netto suscitou a curiosidade dos visitantes, pois aparentava estar ocupado, por uma das personagens da fotografia que marca a sua presença neste espaço. A intervenção de Paulo Arraiano é no logradouro do seu quarto, criando uma paisagem visual que varia de acordo com o ponto de vista de onde é observada. Bruno Pereira cobriu o seu espaço de neons e bonecos assim não tão “fofinhos” quanto aparentam. Pedro Matos optou por barrar parcialmente a janela com um dos seus fragmentos de grande dimensão.

Na direção artística deste projeto, o Grupo Pestana conta com Sandro Resende, um dos fundadores do P28, conhecido pelo vasto portefólio e por intervenções artísticas como o projeto “Contentores”, “Outdoors” ou o mais recente “Janela”.

A agenda do Cidadela Art District integra, por ano, seis Inaugurações bimensais em simultâneo, três concertos anuais e sete intervenções “site specific”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.