Ciclo Arte E Espiritualidade Em Serralves

O Auditório de Serralves acolhe no próximo dia 19 de setembro, pelas 21h30, a primeira conferência, “Pensamento Como Pré-Escrita”, inserida no Ciclo Arte e Espiritualidade.

Este ciclo, comissariado por Pedro Abrunhosa e Paulo Mendes Pinto, pretende explorar “a forma como a Arte dialoga com a Ciência, A Filosofia, a Religião, o Pensamento”.

A primeira conferência “Pensamento Como Pré-Escrita” conta com as presenças de Frei Bento Domingues e da escritora Lídia Jorge, com moderação da jornalista Luísa Meireles.

É no hemisfério da profunda interioridade do pensamento que primordialmente se impõe a realidade. Com ela historicidade, memória, reminiscência. O primeiro momento de percepção é ainda pré-elocutório: o objecto torna-se presente nas sensações mediante a impressão. O intuito colhe-o sem que a razão o julgue. É neste instante noético que os múltiplos conteúdos e modos sensoriais assomam a priori de forma apenas visível interiormente. Pela sua pré-existência, o objecto fala ao sujeito antes que o sujeito fale o objecto. E porque o pensamento tem na fala o seu maior instrumento, os sentidos incitam a linguagem a encontrar acesso à entidade que, ainda não falada, é apenas mistério. Pela fala entende o pensamento o que vê e diz o que entende. Mas quanto mais o fala, mais o espanto primevo, uterino, se fragmenta. Então o mistério esvanece tomado pela razão porque todo discurso é sempre limite. Poderá na Arte, mormente na Poesia, permanecer oculta a transcendência do ser falado, dado que na palavra poética a coisa é todas as coisas em si? E qual o lugar de Deus depois da banalização repetida do seu nome, depois da fala ladainha que, ao invés da Revelação, o verte?

Pedro Abrunhosa

O bilhete tem um custo de 5 euros.

O ciclo conta com novas conferências, nos dias 10 de outubro e 18 de novembro.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.