Chapéus De Chuva Agitaram Águeda Durante 23 Dias

Vinte e três dias de festa: concertos, animações de rua, afterhours, concurso de talentos e arte urbana colocaram Águeda no mapa dos festivais portugueses.

O AgitÁgueda nasceu em 2006 e pelo palco do festival, distinguido este ano com o selo Fest300 2018 – The World’s Best Festivals, já passaram por aqui cerca de 500 grupos e artistas. No recinto mais colorido do mundo, nomes consagrados e novos projetos musicais constituem um cartaz eclético e convidativo.

A edição de 2018, inaugurada a 7 de julho com Carlão e MCLivinho, contou com as presenças de Tim & a Orquestra Filarmónica 12 de abril; a banda NAU, vencedora do concurso anual de bandas emergentes de Aveiro em 2016; a fadista Mariza; a jovem revelação Bárbara Bandeira; a banda Sardinha Também é Peixe, STéP; a jovem Sara Ribeiro, concorrente do Factor X, em 2013; o Ídolo, de 2012, Diogo Piçarra; a banda rock oliveirense Paradigma; o grupo Moonshiners, entre outros nomes de diversos géneros da música contemporânea portuguesa. A cantora e compositora brasileira, Paula Fernandes, encerrou ontem o cartaz musical.

Pelas ruas de Águeda passaram, no mês que agora termina, uma Silent Party; estátuas vivas; body painting; danças de Portugal; encontro de fanfarras; carnaval fora d’horas, entre uma panóplia de atividades e animações, todas elas gratuitas.

É nas ruas da cidade que o AgitÁgueda se diferencia e se destaca. O Umbrella Sky, a instalação artística de guarda-chuvas, criada em 2011, por Patrícia Cunha, tem atraído visitantes dos quatro cantos do mundo.

A arte urbana é, aliás, uma das apostas do AgitÁgueda. Pinturas – em bancos de jardim, escadarias ou paredes – e instalações artísticas convidam os visitantes a conhecerem os espaços da cidade e a sua história. O festival disponibiliza uma aplicação com o Mapa de Arte Urbana para que o público não perca nenhuma das obras de arte espalhadas pela cidade.

Um conceito simples, um objeto de todos os dias… e um manto multicolor! Os chapéus de chuva são o ex-líbris da cidade. O colorido dos guarda-chuvas, a sombra desejada nos dias quentes de verão, um convite ao passeio e ao descanso, nas ruas únicas de Águeda.

Habitantes, associações e lojistas não escondem o orgulho e juntam-se na organização de um evento ímpar, onde o chapéu de chuva é responsável por uma chuva de estrelas, um aguaceiro de gente e uma bátega de cor… e de sol!

O AgitÁgueda terminou ontem, mas os guarda-chuvas, instalados em junho só serão retirados em setembro. Faça chuva ou faça sol, eles continuarão a atrair visitantes. Recorde-se que na edição anterior, o evento recebeu cerca de 250 mil visitantes.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.